Corinthians: Preto no Branco


Chegou o reforço de peso
agosto 28, 2008, 9:40 pm
Filed under: Uncategorized

Não. Não é o “meia de ajoelhar”, tampouco o “atacante matador”, prometidos pela diretoria no início do ano. O reforço de peso é ela, a atacante Cristiane, da Seleção Brasileira, medalha de prata das Olimpíadas de Atenas, em 2004, e Pequim, em 2008, e vice-campeã mundial em 2007.

Cristiane é o grande reforço do time de futebol feminino do Corinthians que partirá em busca do título do Campeonato Paulista.

A atacante assinou contrato até 30 de novembro e será apresentada à imprensa nesta sexta-feira, na sala de imprensa do Parque São Jorge.

Confesso não ser adepta do futebol feminino, no entanto, considero importante que um país ofereça condições para que as mais variadas modalidades de esporte possam se desenvolver. Num primeiro momento, como corinthiana engajada que sou, fico decepcionada com o descaso dos dirigentes, sobretudo neste 2008 interminável. Após tanto sofrimento, ainda ter de ver as contratações ridículas do ano, jogadores sem currículo e qualidade nenhuma contratados para o time principal, me dói o coração ao mesmo tempo em que me deixa profundamente indignada. Mas também julgo importante a preocupação com o futebol feminino, desde que o Corinthians, time principal, também deixe de ser tratado como balcão de negócios, como fonte de enriquecimento dos dirigentes, enquanto o futebol fica cada dia mais enfraquecido. E quanto ao nosso futebol feminino expatriado, dou o maior apoio à modalidade e ainda faço um apelo à mídia desse país e ao governo do mesmo para que prestem atenção no grande potencial das nossas garotas. Já está na hora de dar a devida importância para o esporte do Brasil. Chega de relegar a segundo plano os nossos talentos.

O futebol femino ainda tem muito a crescer e se desenvolver. Mas vem de uma vitória a cada dia, no peito e na raça! E pensar que já foi considerado até crime no Brasil.

Não pensem que prata nas Olímpiadas é pouca coisa não. É muito! Para um esporte sem apoio nenhum. Sem qualquer vestígio de lembrança de sua existência por parte dos nossos governantes, da nossa mídia esportiva, dos patrocinadores e do povo. Mesmo assim, as meninas foram lá e fizeram bonito com o que tinham condições de fazer. Fizeram a sua parte, agora cabe ao Brasil dar a sua contribuição nessa história.

Aproveito a oportunidade para compartilhar com os leitores um texto, do corinthiano Tchê, que ilustra um pouco a história do futebol feminino em nosso país:

Futebol Feminino Já Foi Crime no Brasil

O primeiro jogo oficial de futebol no Brasil ocorreu na Várzea do Carmo, promovido por Charles Müller, entre os ingleses da Cia. de Gás e outros da São Paulo Railway.

Pois a Várzea era também o reduto das lavadeiras, que se reuniam mais para as bandas do Glicério.
Essa mulheres, encantadas com o jogo, passaram a praticá-lo com bolas de meia, nas beiradas do Rio Tamanduateí.

A polícia de costumes paulista, entretanto, costumava prender as “indelicadas” que o praticavam. A amante do “ludopédio” era, para os juristas, algo equivalente à prostituta. Utilizaram-se até da antropologia criminal lombrosiana, para buscar em seus traços, como canelas grossas, a presença do animal primitivo.

O Estado Novo, de inspiração nazi-fascista, criou o decreto 3.199, que proibia às mulheres a prática de esportes considerados incompatíveis com as condições femininas. Também virou crime a prática de halterofilismo, beisebol e de lutas de qualquer natureza.

O decreto foi regulamentado pela Ditadura Militar (1964-1985), em 1965, com expressa proibição do futebol feminino em todo o território nacional. A lei imposta pelos usurpadores-torturadores seria revogada somente 16 anos depois (1981), pelo Conselho Nacional do Desporto.

A final olímpica de 2008, portanto, deve ser vista não somente como mais uma chance de medalha, mas como a vitória de brasileiras que não desistiram nunca, e fizeram valer o esporte acima do preconceito e da ignorância.

Anúncios

2 Comentários so far
Deixe um comentário

Se eu fosse o Mano, mandava o Lulinha, Dentinho e Elias ficarem olhando a Cristane jogar, o dia inteiro. Quem sabe eles aprendem um pouco?

Larissa: Excelente idéia!

Comentário por Lou Mello

Larissa. Nem tanto ao mar. Se o Santos (que também está na liderança do feminino ao lado do Timão) tivesse contratado, choveriam criticas, acho até piores. Deixa a goleadora com o nosso manto sagrado que ficou melhor do que em qualquer outro.

Larissa: Não compreendi Jarbas. Por acaso eu não defendi não só a goleadora, mas o futebol feminino em si?!

Comentário por Jarbas




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: