Corinthians: Preto no Branco


Sem sofrimento não é Corinthians
setembro 14, 2008, 7:22 am
Filed under: Uncategorized

Fui ao estádio assistir a partida entre Corinthians e Barueri. O Pacaembu e a nossa torcida continuam lindos. Casa cheia (mais de vinte e sete mil corinthianos presentes num jogo de série B), clima de apoio total, ou seja, até aí, nenhuma novidade. Essa é a torcida do Timão.

E o jogo, a não ser pelo adversário, foi a cara do Corinthians mesmo: sofrido. Com direito a inúmeros gols perdidos, péssima arbitragem – essa infeliz “coincidência” que nos persegue – e até pênalti disperdiçado. A bola parecia não querer entrar não importando quantas tentativas houvessem e foram muitas. Mais um goleiro que consagramos: Renê. Já o defensor alvinegro, Felipe, chegou a assistir a partida, por vezes, agachado. Foi um jogo de telespectador em posição privilegiada para o nosso goleiro, que só teve algum trabalho no início da primeira etapa.

O time do Corinthians, apesar de individualmente superior à equipe adversária, continua um desastre tático, tem sérias dificuldades em envolver o oponente e não consegue executar jogadas ofensivas de forma consciente.

O árbitro Domingos de Jesus Viana Filho, fora de forma e totalmente despreparado, foi o destaque negativo da partida. Confuso, marcou um pênalti de Duílio em Herrera, mas, auxiliado pelo quarto árbitro, voltou atrás na decisão marcando a infração fora da área. A confusão foi formada e o árbitro acabou expulsando, corretamente, Duílio, que era o último homem da defesa, nos instantes seguintes. Mais tarde, já aos 17 minutos da etapa complementar, nova confusão após a marcação de outro pênalti (este confirmado) que culminou com a expulsão de Leandro Castan. Na cobrança da penalidade, Renê defendeu o fraco chute do zagueiro Chicão. Parecia mesmo que não era dia da rede balançar.

Mesmo em vantagem numérica, após as duas expulsões na equipe do Barueri, o Corinthians continuou sem encontrar espaços, desorganizado em campo, o time não trabalhava a bola devidamente e não seguia a cartilha básica do futebol que é a de forçar viradas de jogo para abrir uma defesa que se postava em duas linhas de quatro. Abusando do chuveirinho e mal posicionado para pegar os rebotes de frente, o Timão facilitava a recomposição da retranca barueriense e com isso não conseguia chegar a linha de fundo por conta da lentidão em organizar suas jogadas.

Para o torcedor que confunde padrão tático com posicionamento inicial, numa visão um tanto limitada de algo complexo como um esquema de jogo, essa partida serve como ótimo exemplo. Se por um lado alguns confundem posicionamento estático como padrão (algo como a formação de saída de um time de botão), por outro, um jogo como esse denuncia toda a falta de um trabalho de movimentação e orientação no sentido de aproveitar os espaços em campo. Com dois a mais, Mano Menezes demorou para soltar seus laterais simultaneamente e por vício o Corinthians recuava para trás da linha da bola quando o adversário, com apenas oito jogadores de linha, retomava a posse da bola, isso quando o bom senso mandava que a equipe pressionasse no campo de ataque em tempo integral. Contudo, André Santos aos 49 do segundo tempo, aproveitou um cruzamento de Douglas para encaixar o gol salvador da pátria.

Enfim, vitória sofrida automaticamente nos remete aos bons tempos de Corinthians, que aguerrido, lutava até o último minuto para alcançar seus objetivos. Se fechasse os olhos, por um momento, o torcedor poderia até se transportar aos jogos épicos do clube, como no ano de 2001 ao eliminar o Santos do Campeonato Paulista com gol heróico de Ricardinho no último minuto. Mas a realidade é outra e ao se deparar com tamanho sofrimento diante do inexpressivo Barueri, ao invés de memórias esplendorosas, o que se tem é a certeza de que muito ainda precisa ser trabalhado e aperfeiçoado.

Anúncios

9 Comentários so far
Deixe um comentário

Creio que vimos o mesmo jogo… do mesmo ângulo de visão até! Concordo como tudo, nada a acrescentar.

Larissa: Por acaso você foi de numerada também? rs…

Comentário por Shadow Hunter

Um jogo com cara do corinthians como ha muito tempo nao se via
Realmente vergonhosa a atuacao do juiz ao voltar atras da decisao do penalti,isso aqui e futebol e nao futebol americano que se pode utilizar auxilio da tv pra tomar decisoes
Mas foi bom pra voltar a ver o corinthians de sempre,brigador,racudo,que nao desiste,que luta,que ate se mata se necessario for

Larissa: Na realidade, pela regra, o árbitro pode voltar atrás da decisão com a bola parada, achei lamentável ele não conseguir conter os jogadores em campo e perder 5 minutos em cada lance de confusão. Achei lamentável também, a falta de preparo físico que fazia com que chegasse atrasado em todos os lances e invertesse algumas faltas. O lance do penalti foi fora da área, acho até bom que tenha voltado atrás, odeio roubo e odeio Milton Neves falando asneiras sobre apito amigo depois. As expulsões também foram corretas, ambas, em minha opinião. E o segundo pênalti, pra mim, foi bem marcado, já que Herrera foi puxado mesmo e o Leandro Castán já havia sido advertido. A atuação do árbitro, em minha opinião, deixou a desejar quanto ao preparo físico, inversão de faltas e comando de jogo.

Comentário por Roger

Nao sabia que podia se voltar atras de decisoes assim,mas e valido a utilizacao de auxilios externos?
Duro que isso faz com que o futebol perca a espontaneidade que o faz ser um esporte tao apaixonante e emocionante

Larissa: O auxílio utilizado foi o quarto árbitro, nesse caso, me parece que é válido sim. Ele deve estar ali pra isso né? =)

Comentário por Roger

Entao li hj que parece que o 4 árbitro declarou que nem viu o lance e sim recebeu a informação de outra pessoa

Larissa: Nesse caso a coisa já passa a ser anti-ética. Se nem viu o lance e foi avisado por repórter (como ouvi dizerem). Mas ainda sim, o aviso partiu do quarto árbitro e nesse caso, é válida a anulação da decisão. O que deve ser contestado é a atitude do quarto árbitro então.

Comentário por Roger

Lembram do golaço do Carlitos contra os porcos, anulado a posteriori pela Ana Paula?

Larissa: Como esquecer o gol mais bonito do Campeonato Paulista?

Comentário por Jarbas

Não dá tempo para cuidar de uma tática mais detalhada. Tem que atender o Leite, o Ribeiro, o Djan e tantos compadres desse e daquele que não sobra tempo para nada mais. Sem falar na incompetência.

Larissa: Pois é. São tantos compromissos assumidos para tão pouco potencial.

Comentário por loumello

Quem sabe, sabe…né?

Larissa: Sabe!

Comentário por Jarbas

Realmente esse jogo foi daqueles que nós corinthianos adoramos assistir, partida dominada chances criadas, penaltis perdidos, goleiro fazendo milagres e no finalzinho um gol na base da raça, gol que poucos times buscam, lutar até o final e levando em consideração o adversário que busca visibilidade e tem uma estrutura por trás que paga premios aos jogadores por vitorias em jogos chaves, como jogar contra corinthians é sempre um jogo chave o premio ao final do jogo era garantido, tudo bancado pela prefeitura de baruerí que é a ….deixa pra lá. bjs

Larissa: Deixemos esse assunto de lado …rs…beijo.

Comentário por Toel

Larissa, se o gol não tivesse saído, estariam jogando até agora.

Larissa: Por que será?

Comentário por DONIZETE




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: