Corinthians: Preto no Branco


Um amistoso para servir de exemplo
outubro 28, 2008, 11:53 pm
Filed under: Uncategorized

O Corinthians, de volta à Série A, foi à capital matogrossense para enfrentar o problemático Mixto, que já chegou ao 14º lugar no Campeonato Brasileiro e hoje disputa a Série C, numa partida amistosa que renderá aproximadamente R$ 250 mil aos cofres corinthianos.

O jogo ocorreu nesta terça-feira, no estádio Governador José Fragelli, que recebeu cerca de 35.000 torcedores, e não foi transmitido por nenhuma grande emissora de televisão, nem pelo Pay-per-view e, portanto, a blogueira acompanhou o clima festivo do jogo através do bom e velho radinho sintonizado na Rádio Cultura de Cuiabá.

O Timão, óbvio, venceu. 2 a 0 placar final, com gols de Fábio Ferreira no primeiro tempo e Elias já na etapa complementar. Muito pouco. E o Lulinha nem em amistoso hein?

No entanto, os destaques da partida, surpreendentemente, não foram os jogadores alvinegros, mas os acontecimentos extra-campo. Pra não dizer que não houveram jogadores em destaque, Elias ex-lateral esquerdo do time de 1993 do Corinthians foi o homenageado da noite, mas só permaneceu em campo durante os 20 minutos iniciais e o meia Beto que era a novidade do time do Mixto, contratado especialmente para o amistoso. Beto que no intervalo do jogo, trocou a camisa com o lateral corinthiano Alessandro e depois acabou ficando sem uniforme. Dá pra acreditar?

Como se não bastasse a falta de estrutura do clube e a queda de iluminação no estádio, os jogadores mixtenses aproveitaram a repercussão da partida para protestarem contra os salários atrasados, no intervalo, ameaçaram não retornar para o gramado, caso não houvesse pagamento e foi preciso intervenção dos organizadores do evento para solucionar a situação. A Rádio Cultura noticiou que a diretoria do Mixto mal aparece pelo clube. É, a crise está grande nos times do Mato Grosso!

E teve até jogador chorando por não poder entrar em campo. Enquanto Mano Menezes aproveitou para trocar praticamente o time inteiro no decorrer do jogo, o técnico Fumanchu realizou apenas uma alteração, Elias por Ronny, que foi alvo da atenção do comandante corinthiano. E os jogadores do Mixto, sem chance de mostrar seus talentos na grande partida do ano, saíram decepcionados. O reserva Janse, visivelmente desapontado, reclamou: “É triste isso. A gente vem para cá com esperança, com o sonho de jogar contra um grande time, mas vê tudo isso destruído. Dá até vontade de parar.”

E como é triste ver qualquer clube brasileiro nessa situação. Não há dúvidas que o Mato Grosso tem capacidade de formar elencos competitivos, bem como qualquer outro estado do país. Assim como o Mixto já disputou a Série A no passado e o Operário (do Mato Grosso do Sul) já alcançou até a 3ª colocação no Campeonato Brasileiro. Basta que haja interesse dos gestores em administrar o clube corretamente, somando parcerias equilibradas, realizando um bom trabalho de marketing e se preocupando de fato com o clube, buscando atrair associados, renegociando o preço da mensalidade, etc. Não é difícil, mas precisa de gente trabalhando lá e não apenas realizando amistosos para constranger jogadores e torcida.

Apesar de tudo, o Mixto buscou jogar de igual para igual e o resultado nem foi dos piores. Quem sabe com mais oportunidade o cenário seja outro, numa próxima vez.

Que sirva de exemplo não somente para os clubes em decadência, mas para todo torcedor que não deseja acordar e ver seu time arruinado, caindo de divisão em divisão, graças às más administrações. E disso o corinthiano, infelizmente, entende bem.

Anúncios

16 Comentários so far
Deixe um comentário

Ótima abordagem do amistoso. Parabéns por ressaltar esse tipo de informação.
E eu esperava mais do Timão também.

Larissa: Obrigada, Marco. Abordei o que me chamou mais atenção em meio ao futebol. É realmente lamentável que nossos comentários não se pautem mais pelos brilho das partida, mas sim pelos fatores extra-campo que têm ofuscado o futebol brasileiro.

Comentário por Marco Alves

A GENTE XINGA NA HORA PQ CAI ILUMINAÇÃO, TRATA COMO RIVAL NO CALOR DO JOGO, MAS SE PARARMOS PRA ANALISAR BEM É TRISTE MESMO! TOMARA QUE OS CLUBES CONSIGAM SE ORGANIZAR, ESPECIALMENTE O NOSSO QUE NÃO ESTÁ NA MESMA SITUAÇÃO DO MIXTO, MAS TAMBÉM NÃO PODE FALAR MUITA COISA NÃO (EM TERMOS DE POLÍTICA).

Larissa: É bem por aí, Heloisa.

Comentário por Heloisa

Sou jornalista esportivo aqui em Mato Grosso, e tenho que adimitir… Seu texto está impecável… Como disse o Marco aí em cima… é uma abordagem diferente de um jogo em que todos só falaram do resultado…

Parabéns…

Quanto ao que disseste sobre o futebol daqui, é realmente lamentável… os dirigentes locais ainda administram o futebol como na década de 70… é triste ver a tradição de times como Mixto, Operário e Dom Bosco se esfarelarem com o tempo… Obrigado por me propiciar uma boa leitura, as 6 da manhã, após virar a noite mexendo com minha monografia…

(tirei algumas fotos do jogo e coloquei no meu orkut… procura por Leonardo Heitor Cuiabano Miranda)

Larissa: Seja bem-vindo ao blog, Leonardo. Obrigada pelos elogios. Quanto ao futebol, se servir de consolo, no eixo Rio-São Paulo o negócio não é muito distinto. A diferença é que a mídia, os barões do futebol e as torcidas mais expressivas ainda seguram os times. Mas de fato, precisa haver mais conscientização e luta por dirigentes capacitados e, sobretudo, compromissados com a causa, pela profissionalização dos clubes e por aí vai.
Obs: Belas fotos, já roubei uma para ilustrar o blog.
Abraços alvinegros!

Comentário por Leonardo Miranda

Olá, Larissa.

Vim aqui motivado por teu comentário no Damato sobre o Mano.
Eu tinha uma impressão parecida com a tua, mas sem ter ido tão fundo.

Coincidentemente, ainda ontem cedo postei a respeito dessa proposta de renovação por 350 mil.
Um exagero.

Excelente o teu texto sobre o jogo de Cuiabá. Gostei muito, mas não gostei, é claro, do que é retratado.
Uma pena que isso ocorra por grande parte do Brasil.

Dirigentes incapazes e talvez outras coisas, estão destruindo, sistematicamente, grandes clubes regionais.
Para não ir muito longe, é só lembrar a situação de Remo e Paysandu, por exemplo.

Larissa: Seja bem-vindo, Emerson. Sobre o Mano, é o que eu aviso desde o início do ano, mas que grande parte só perceberá em 2009. Perfeito o seu post sobre o assunto também (é, visitei o blog!). Quanto ao amistoso em Cuiabá e a situação dos clubes regionais, compartilho da sua opinião. Muito bem lembrados os times do Pará. Infelizmente, se pararmos para colocar no papel todos os clubes que enfrentam crises semelhantes, a lista é grande e, provavelmente, proporcional a de cartolas incapazes e/ou corruptos. Abraços!

Comentário por Emerson Gonçalves

Caramba Larissa nem sabia desse jogo e o que vc escreveu é no mínimo fantástico, digno dos comentários até aqui, é por essa e outras que sou seu fã, grande Bj e parabens.

Larissa: Ai ai ai…como é que não sabia se eu avisei aqui no blog?! (risos…). Brincadeiras à parte, obrigada pelo carinho. Abraços alvinegros!

Comentário por Toel

Bom post… O futebol brasileiro tá uma lástima…

Larissa: E nem a Série A é tão exceção assim.

Comentário por jeff

Larissa, você ficaria mais espantada ainda, se conhecesse os vestiários e gramados de grande parte dos estádios da série B, que o Timão disputou este ano. Os clubes (o Mixto é apenas um exemplo), estão falidos. E em 2009, você é que verá, caso se confirme a crise financeira mundial, times de expressão, caindo pelas tabelas, porque sobrevivem cobrindo rombos com vendas de jogador, que certamente diminuirão drasticamente. Ai vamos ver quem tem competencia para gerenciamento sem dinheiro.

Larissa: Eu não sei porque parece que eu não conheço, mas tive de fazer estágio em Psicologia do Esporte e acompanhei alguns clubes do interior de Santa Catarina, por exemplo. Não acompanho o Mixto, mas penso que a diferença não seja tão gritante assim, já que a falta de investimentos é a mesma. Enfim…com a possível crise nós veremos não quem tem competência para gerir sem dinheiro, mas quem tem conhecimento e capacidade de gerir sem pensar em lucrar com negociações obscuras de jogadores. Talvez seja hora de pensar na torcida, no sócio-torcedor, enfim, idéias tem aos montes. Posts atrás eu publiquei algumas sugestões que poderiam ser perfeitamente implantadas e até aperfeiçoadas. Garanto que não fariam mal nenhum num período de crise financeira.
Abraços!

Comentário por Jarbas

Larissa, se você não se incomodar, gostaria de transcrever teu post no OCE.

É possível?

O foco, para mim, será a situação do Mixto.

Larissa: Sem problemas, fique à vontade. Quanto mais pessoas se preocuparem em abordar essas questões, melhor. Talvez, com repercussão e informação, se comece a reverter alguns quadros, apareçam pessoas interessadas em contribuir de alguma forma com os clubes, enfim, mal não deve fazer.
Mais tarde passo lá para conferir a sua versão.

Comentário por Emerson Gonçalves

Obrigado, Larissa.

Já está postado.

Comentei sobre o retorno do Corinthians no post de 26 de outubro. Elogiei, como faço desde seu início, a gestão que eu chamo de Sanches/Rosemberg.
De vez em quando critico, mas no geral elogio.

Gestão…
Na verdade, é isso que faz diferença.

:o)

Larissa: Com certeza farei uma visita por lá. Sobre a “gestão”, temo que você vá se arrepender pelos elogios, mas se considera ter razões para elogiar, siga em frente. Penso bastante diferente quanto a isto. Sobre o Rosemberg, ele se despede ao final desse ano do Marketing do Corinthians, como afirmou que faria já no início do ano. Creio que ele queria contribuir de alguma forma, mas mais ainda fazer publicidade para a sua própria empresa. E pensar em gestão, em projetos de Marketing com prazo de validade curto, só se for pra fazer algumas camisetinhas, como fizeram. Nos falta ainda um PROJETO de marketing, não apenas idéias soltas, como temos visto. Contudo, a novidade fica a cargo das contradições públicas entre ele e o presidente, e alguns boatos -leia bem – boatos no clube dão conta de que ele (Rosemberg) já estaria pensando em apoiar um outro candidato, mas quanto a isso eu ainda não tenho certeza.

Comentário por Emerson Gonçalves

Com todo respeito aos companheiro matogrossenses, mas que amistoso sem pé nem cabeça?
Somente por uns trocados, pois convenhamos, 250 mil reais não é nada para qualquer grande clube.
O presidente não sabe mesmo da onde tirar…
Talvez se ele demitisse o Depto. de Marketing, ele teria muito mais retorno financeiro…

Larissa: O lado do Mixto na história do amistoso, eu até entendi. Mas o do Corinthians, também não achei tão válido assim. Mas enfim, um jogo apenas, uma receita a mais para os cofres do clube, mal não faz, pelo menos penso que não, principalmente se a receita entrar mesmo nos cofres do Corinthians.

Comentário por Gabriel Paulino da Silva

Primeiramente, muito bom o seu blog. Está de parabéns. Vou visitar várias vezes.
Sobre esse jogo, o que mais me chamou atenção foi o velho problema da situação financeira que vive a maioria dos clubes brasileiros.
Não é só o Mixto que tem esse grave problema, mas sim vários outros clubes que passam por momentos ruins. Clube grande passa por isso também. É o caso do meu Botafogo.
Isso acontece por falta de profissionalismo no futebol. É pouca competência e muita corrupção. Eu sei que não é fácil administrar um clube de futebol, mas as maiorias dos dirigentes não sabem administrar um clube e acontecem esses problemas. É lamentável.
Valeu e até mais.

SAULOBOTAFOGO.BLOGSPOT.COM

Larissa: Seja bem-vindo, Saulo. Obrigada. Certamente é um problema de quase todos os clubes do Brasil, uns mais outros menos. Concordo inteiramente quando você fala da profissionalização do futebol, dos clubes, esta é uma mudança necessária. No entanto, eu já não acredito mais em incapacidade administrativa dos cartolas, haja visto que todos são empresários muito bem-sucedidos. O que falta muito é vergonha na cara, dignidade, interesse em profissionalizar e modernizar os clubes, senso de democracia, enfim, sobra falta. Abraço.

Comentário por saulo

Larissa. Tenho lido seus comentários no Blog do Paulinho e os acho bastante centrados e inteligentes. É a primeira vez que visito seu blog e achei muito bom, bem escrito e coerente. Parabéns. Virei seu fã. Abraço.

Larissa: Seja bem-vindo e obrigada, Lincoln. Já cheguei a visitar o seu blog via comentário seu por lá também. Muito legal o teu espaço, parabéns! Abraços alvinegros.

Comentário por LINCOLN - do Blog do Lincão

Larissa,

É lamentável que no mundo do futebol, cada dia “mais milionário” um clube de futebol viva uma situação como essa. Pior. No país do futebol.

Infelizmente, o futuro destes clubes é o pior possível. Acredito (disse acredito e não torço) o futebol brasileiro se assemelhará ao Espanhol ou Italiano com 4 ou 5 equipes de ponta e outras que participam do campeonato.

Infelizmente…

Beijos e parabéns pelo blog. Mesmo não sendo corinthiano, vale a pena a leitura

Dinarte Josias
http://blogdojosias.wordpress.com

Larissa: É uma triste – e bem triste – previsão a sua, embora faça sentido. Se formos analisar e tecer conjunturas baseando-nos pelos últimos anos do Campeonato Brasileiro então, estamos avançando para o mesmo modelo italiano, cada vez restringindo mais a ponta da tabela. E o que antes era o país do futebol, hoje está mais para o país dos cartolas e empresários de jogadores. Abraços!

Comentário por dinejosias

Larissa. Me referi justamente ao São Paulo FC, que anualmente vende pelo menos dois ou tres jogadores, por milhões de dolares, em negócios realmente obscuros, que ninguem sabe quem é intermediário.
E mesmo com esses milhões que entram nas negociatas, está em débito com o INSS.
Isto é, cobre anualmente o rombo com negócios mais dos que suspeitos.
Se o Corinthians vendesse jogadores, como o São Paulo, essa divida já estaria zerada.
Se esses negócios milionários cessarem, acho que a soberba do Jardim Leonor, vai despencar.
Não me referi ao nosso Corinthians, como você pensou, porque nós não vendemos ninguem.
O ultimo negócio que eu me lembre foi o William, na época do Dualib, ou do Stabile não me lembro.
A esperança para 2009, é que pelo menos esse contrato com a NIKE, feito em 2003 com validade absurda até 2009, por essa merreca, seja pelo menos revisto. ( O Duro é se a Carla ganhar a ação que demanda de 6 milhões de reais) Coitado do proximo presidente.
Nós, Corinthians, não devemos esperar dinheiro com venda de jogadores como fazem os Bambis, e seus “empresários” sócios.
Aproveitando o ensejo, para 2009, nossa folha de 1,6 mil não será páreo para as folhas salariais dos Bambis, em torno de 5 milhões mensais.
Porisso, pode esperar vacas magras, querida blogueira. 2009, ano de sofrimento, e muita matéria para seu valoroso blog.

Larissa: Que 2009 será um ano duro para o Corinthians, não me restam dúvidas, afinal, muitas novas dívidas foram adquiridas, além dos adiantamentos que já corroeram boa parte das receitas do ano. Agora “matérias” para o blog, independente da fase do clube, não faltam. Bem ou mal (quando necessário) eu sempre escreverei sobre o Corinthians que é a minha preocupação. A diferença é que não são exatamente matérias, bem como eu não sou jornalista e escrevo como torcedora desconfiada, indignada e, posso dizer, consciente.

Comentário por Jarbas

Espetáculo proibido – Alertados pelo técnico Júlio César Fumanchu, os jogadores do Corinthians evitaram fazer jogadas de efeito no amistoso para não irritar os adversários. “Não dá para ficar dando chapéu só porque é jogo festivo. Havia até o risco de levar uma botinada e alguém acabar se machucando. O melhor era tocar a bola”, afirmou Chicão.

Nota do site da GE. que colei aqui, porque esse simples amistoso, parece que adquiriu importância tamanha, que parece mais decisão de campeonato, e até o dolar sentiu.

Mas, entendo, até treino do Corinthians é motivo de comentários, aliás o Corinthians para mim, nesses ultimos tempos tem como música simbolo a do link abaixo, principalmente agora que subiu para a primeira divisão, muito mais significativa que o Portão do RC:

http://br.youtube.com/watch?v=jsB–twZgng

Jarbas: Até parece que isso vem de hoje. O Corinthians sempre foi o time mais comentado do Brasil, seja para o bem, seja para o mal. É o ônus que se paga por ser o maior.

Comentário por Jarbas

Bem frisado Lara, times como Operario, Londrina, Mixto, America-MG, America-RN, Santa Cruz,que hoje estao nas ultimas por culpa de administraçoes safadas e incompetentes.

Sou de Mato Grosso do Sul e costumo ir aos jogos do Operario, a torcida continua la fiel, mas ainda há uma diretoria que nao quer saber de melhorar em nada a estrutura do time, ano passado os jogadores foram ajudados pela torcida do Operario com arrecadaçao de alimentos e pagamentos de hoteis para alojamento, porque a propria diretoria nao se preocupou em nada com a situaçao dos jogadores.

Enfim, que todos esse casos sirvam de exemplo que é dificil construir, mas para destruir basta um empurrao.

Larissa: Muito bem Fernnando. Sabe o que eu acho? Que vocês já estão carregando o clube nas costas, então assumam isso. Exijam, briguem, entrem na justiça se preciso, troquem o presidente. Coloquem alguém capacitado e aproveite enquanto os interesses por aí são menores que por aqui. No Corinthians as pessoas cometem os piores crimes pelo poder. Tomem conta do clube, cada um faz a sua parte. Tenho certeza que torcedores preocupados, cada um ajudando na área que mais entende, compromissados, são capazes de gerir esses clubes de forma melhor que os seus dirigentes. Tragam seus times de volta para o mapa!

Comentário por Fernnando




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: