Corinthians: Preto no Branco


Do PaulistÃO
dezembro 12, 2008, 11:47 pm
Filed under: Uncategorized

O Campenato Paulista, que já foi um dos torneios mais importantes do país e hoje pode ser classificado como o regional mais disputado do Brasil é, sem dúvidas, um torneio repleto de tradições e glórias.

Foi o primeiro campeonato organizado no âmbito do futebol nacional. O Paulistão, não Paulistinha, como costumam chamar aqueles que não respeitam as tradições futebolísticas do solo tupiniquim, é realizado ininterruptamente desde 1902 e irá, portanto, completar 107 anos em 2009. Apesar de não ter mais a mesma relevância dos anos 70 em função dos novos campeonatos que surgiram, como o Brasileirão, ainda assim merece, no mínimo, respeito.

É lamentável atestar grandes nomes do esporte nacional desfazerem do campeonato que gerou as grandes rivalidades e os maiores clássicos.

O Timão, como não poderia deixar de ser, é o grande vencedor da competição, vinte e cinco vezes campeão paulista, seguido pelo Palmeiras com vinte e duas e São Paulo com vinte conquistas.

Como nem tudo são flores, a competição, hoje, também tem os seus contras, o maior deles referente à organização, que é realizada pela Federação Paulista de Futebol – FPF, conhecida pela relação promíscua com determinados clubes. Mas não é por isso que se deva desconsiderar mais de cem anos de tradição do campeonato em que era proibido vaiar. Isso mesmo! A plaqueta na arquibancada do Velódromo (estádio do Paulistano, na época), onde foi disputada a primeira partida do campeonato paulista, dizia o seguinte: “É expressamente proibido vaiar”.

Nos dias de hoje já é permitido apupar, dentre inúmeras outras coisas, mas que seja quando houver necessidade e dentro do estádio. Fora dele é no mínimo um desrespeito desfazer de um dos mais tradicionais torneios nacionais e também uma forma de demonstrar indiferença à história do futebol e dos clubes paulistas.

A partir de 2009, para contribuir ainda mais com a história de tradições do campeonato onde já brilharam Sócrates, Rivelino, Pelé, Leônidas da Silva e Ademir da Guia, agora, o jogador eleito por três vezes o melhor do mundo, chega ao Parque São Jorge para enfeitar também o futebol do Paulistão. Ronaldo neles! O Campeonato Paulista que já é, será ainda mais fenomenal.


13 Comentários so far
Deixe um comentário

No Brasil a mídia dita e manipula o que “é legal” e o que não é.

Conseguiram pegar os campeonatos estaduais de um país continental como o Brasil e de uma hora pra outra depreciaram.

O estado de São Paulo faria frente tranquilamente a qualquer país europeu em termos de futebol, mas os barões da bola acharam por bem cortar as asinhas de uma Ponte Preta ou um Guarani pra sobrar espaço para os grandes de outros estados no cenário nacional. Com isso minaram a força de um campeonato que dá de 1000 a zero em qualquer outra competição nacional da América do Sul (tirando o proprio Brasileiro) e talvez equiparado apenas com o Argentino.

Da mesma forma, empurraram para o torcedor a fórmula de pontos corridos, criaram um mito de campeonato justo de igualdade de condições (onde hoje vemos a escalação de times mistos desequilibrarem o certame) e muitos passaram a comprar a idéia de maneira robotizada, como se isso fosse o certo, com toda a emoção sendo deixada de lado na hora do julgamento.

E o que é o futebol senão emoção?

Agora, voltando ao Paulista, é bom ressaltar que outros estaduais tambem tiveram de sucumbir ao calendário imposto pela mídia, porém, no Rio a imprensa exalta a sua competição, enquanto que em São Paulo os recalcados seguem o seu método sujo de depreciar tudo em que o Corinthians é o melhor.

Para a mídia de São Paulo, campeonato que vale é aquele que os adversários tem mais que o Corinthians.

Eles estão até em situação delicada agora porque após de 2005 haviam criado uma lei de que só Libertadores tinha importancia, nem o Brasileiro valia mais tanto assim, agora, com a fase do São Paulo em nacionais, onde ficaram no ostracismo por 14 anos, a imprensa ainda não sabe direito como dizer que o campeonato “voltou a valer”.

Larissa: Eis uma grande verdade. Falou e disse! Por falar em dizer, eu também já referi outras vezes que me orgulho dos leitores desse blog, tamanho o discernimento e conhecimento acerca do mundo do futebol. Abraços alvinegros.

Comentário por Paulo (Shadow)

Além de linda é inteligente.
Futura jornalista perfeita. Acho que o Paulinho é subserviente() demais a TODAS opiniões do Juca Kfouri. Que convenhamos, perde a cada segundo mais fãs corintianos. Seu blog é um reduto bambi indiscarado. Beijos, boa sorte na carreira.

Larissa: Deixa apenas esclarecer que eu não tenho e, no Brasil, nem quero vir a ter nada com jornalismo. Este é apenas um blog de torcedora e eu sou psicóloga. Abraços alvinegros.

Comentário por Vinícius

Acho que não vai entender direito meu ponto. Esqueci de falar que me refiro à sua colocão do Campeonato Paulista como Paulistão.

Larissa: Compreendi, sim.

Comentário por Vinícius

Tenho lido seus comentarios no blog do Paulinho. Parabéns pelas suas opiniões, Larissa. Depois de um comentario falando da “Caponatta da Veridiana e do vinho” resolvi te escrever. Uma pergunta: você tem algum tipo de ligação com a Gaviões da Fiel? Saudações corinthianas.

Larissa: Primeiramente, obrigada. Defina ligação. 🙂 Se conhecer algumas pessoas da agremiação for ser ligada à ela, então sim. No entanto, não sou associada, nem freqüento a quadra e no estádio costumo ir nas numeradas, mas como também viajo bastante para acompanhar o time, acabo conhecendo muitas pessoas da torcida. Abraços alvinegros.

Comentário por Antonio

Onde assino, bela da Fiel?

Larissa: Obrigada. 🙂 Abraços alvinegros.

Comentário por Elton

Eu até entendo as razões do Juca para recriminar os campeonatos Estaduais. E ele também lamenta que um campeonato de tanta tradição, que é o Paulistão, hoje é, simplismente a sustentação da Federação Paulista. Como é no Rio, em Minas e nos demais.

Há de se convir, que ele tenha até razão. Porem, e ai eu concordo com você, não se pode simplismente eliminar esse campeonato com se fosse um outro qualquer.

Eu consigo ver sim, beneficios para o resto da temporada:

1- É uma pré-temporada, isso ninguem pode negar. Mas também, não se resumi a só isso, como muitos dizem, inclusive o Juca.

2- Os Estaduais são o grande palco de apresentações para a temporada que segue. É

Larissa: Respondido abaixo. Abraços alvinegros.

Comentário por Gabriel Paulino da Silva

SHIT!!!!!!!!

desculpe, enter sem querer…

continuando.

2- São os Estaduais que nos apresentam os melhores times do Brasil, ou seja, aqueles que vão brigar por titulos no resto do ano.

3- Geralmente depois deles, os times ficam estáticos, se fecha o periodo de transferencias e então começa o espetaculo.

4- E por fim, salva o ano de muita gente. Exemplo Palmeiras.

Em contra-ponto, acho que em alguns casos, não deveria ter Estaduais, mas sim Regionais.

Aqui no Nordeste, o que nutria os clubes como Vitoria e Sport, eram os grandes classicos.
A receita das bilheterias era tremenda, e então, eles conseguiam montar equipes mais competitivas para o Brasileiro.

A Globo em conjunto com a CBF, extinguiu, e não deu satisfação a ninguem, deixando os clubes do Nordeste na mão.
Como haviaum contrato que foi quebrado, a Liga do Nordeste entrou na justiça, e a pouco mais de 2 anos, ganhou a indenização.

Foram aproximadamente 50 milhões de reais.

Mas esses clubes nunca mais foram os mesmos.

Ou seja, eu sou a favor, mas sou contra também.

Larissa: Eu falava do Paulistão, mas você foi mais além… Eu vejo como positivo, além destes pontos citados, todos os outros que referi no texto, no entanto, vejo como contra a questão da organização, mas basta executar mudanças nesse contra, não é necessária e nem digno extinguir o campeonato, por falar em dignidade, também não vejo nenhuma em atacar mais de 100 anos de tradição para fazer frente aos seus inimigos políticos das federações. Enfim… Abraços alvinegros.

Comentário por Gabriel Paulino da Silva

Você mencionou o glorioso Clube Atlético Paulistano, time do 1º grande craque do futebol brasileiro cultuado no exterior (antes de Leônidas da Silva e Pelé): Arthur Friedenreich. Que serviu à Seleção Brasileira e encerrou a carreira no São Paulo Futebol Clube (conquistando o título paulista de 1931 neste clube). Portanto, corrigindo a informação, o São Paulo ostenta 21 títulos paulistas em sua invejável galeria de troféus.

São Paulo, o glorioso e tradicional “Clube da Fé”, que é o legítimo sucessor do futebol do Paulistano, quando foi fundado em 1930 por sócios do aristocrático clube do Jardim América, inconformados com a dissolução do departamento de futebol do Paulistano.

E fazendo um exame detalhado em cima dos números e da história, o maior vencedor de campeonatos paulistas na ERA AMADORA, é o próprio Clube Atlético Paulistano, com 11 conquistas em 29 anos, resultando numa média espetacular de 1 título conquistado a cada 2,63 anos.

Com o advento da ERA PROFISSIONAL no futebol brasileiro (pós 1933), o clube de SP mais vencedor de títulos estaduais é ele… o Tricolor do Morumbi, com suas 21 conquistas, e com o menor tempo de fila dos 4 grandes (13 anos). Detalhe, é o 2º clube (atrás apenas do CAP) com a melhor média de conquistas: 1 título paulista conquistado a cada 3,71 anos.

É o maior vencedor da era profissional e depois da fundação da Federação Paulista de Futebol, em 1941.

Ou seja, o Corinthians, desde 1910, em números absolutos e numa análise fria, é de fato o maior campeão com 25 títulos. Não se pode tirar os méritos. Porém, como disse, o maior campeão e o grande clube de SP, no período amador, é sem dúvida o Paulistano de Fried, e o São Paulo incrivelmente deu seqüencia a esta “dinastia”.

Seja em paulistas, brasileiros, libertadores e mundiais, o São Paulo com sua enorme tradição e camisa, ostenta uma hegemonia significativa, desde que foi fundado. Mesmo sendo em média, 20 anos mais jovem que os principais rivais. E ainda alcançou o posto de 2º maior torcida do estado e 3º do Brasil, e continua crescendo, expandindo fronteiras… É realmente notável e relevante esta trajetória.

O Paulistão tem enorme importância na história não só do Tricolor, mas de todos os grandes clubes do país. Mas infelizmente, e isso é uma constatação, o torneio foi depreciado, perdeu valor, e embora eu não seja defensor da sua extinção, preferiria que ele fosse mais enxuto, para poder equilibrar o calendário com competições bem mais importantes e rentáveis.

Como são-paulino, quero ser tetra da libertadores em 2009 em 1º lugar e disparado, mas não deixarei de comemorar e valorizar o 22º título paulista da história tricolor, caso ele venha para o memorial de conquistas. A mídia valoriza muito a relação do São Paulo com outras competições mais badaladas, mas poderia, se quisesse, fazer o mesmo com o bacaníssimo PAULISTÃO.

Enfim, é isso, hehehe.
Saudações Tricolores!!!

Larissa: Até me admirou você não dizer que tem 22 títulos também. Mas a realidade não é essa. Nem 22, nem 21. Esta é uma confusão proposital que fazem contando um tal de Super Paulistão de 2002 que nem a FPF conta (foi o ano da Liga Rio-São Paulo) e contam um título do extinto São Paulo da Floresta. Acontece que diferente do Palestra que apenas trocou o nome. Esses times faliram e outro, o São Paulo FC foi fundado em 1935, mas os mesmos ocultam isso pra tentar contar o título de outro clube em 1931. Trocando em miúdos, depreciam o campeonato em público, mas por baixo dos panos daqui a pouco estão falando que têm 30 títulos já. E tenho dito!

Comentário por Clayton

“O Paulistão tem enorme importância na história não só do Tricolor, mas de todos os grandes clubes do país.”

Opa, troque o “paulistão”, por “estaduais”. Agora sim. []’s.

Comentário por Clayton

Te admirou, rsrsrs? Eu sou justo. O super paulistão de 2002 não pode ser contabilizado, mesmo. A torcida lotou o Morumbi, comemorou, lembro bem, mas o campeão paulista daquele ano foi o Ituano. Ok. Aí, disputou uma final com o time do interior e foi “super campeão paulista”.

Em relação ao Paulista de 1931, este não. É patrimônio do São Paulo Futebol Clube. A FPF reconhece, e detalhe: a TAÇA está no Memorial do clube, localizado no Morumbi (portão 17), pra quem quiser ver.

O “São Paulo da Floresta” nada mais é do que o apelido do Tricolor, em referência ao seu estádio, na época, localizado na Chácara da Floresta, na região da Ponte Grande, perto do Rio Tietê. Onde hoje fica o Clube de Regatas Tietê (e o antigo estádio da floresta pertence hoje a este clube social).

É o mesmo que São Paulo do Canindé, do Morumbi… O nome oficial do clube sempre foi SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE, com o mesmo escudo e as iniciais SPFC. Tanto que nas estatísticas dos confrontos entre São Paulo x Corinthians, você colocou o período pós-1930, e o fez muito bem. É o correto, historicamente.

O São Paulo foi fundado em 25/01/1930 (por sócios do Paulistano e a A.A. Palmeiras “da Floresta” – proprietária daquele estádio à época). Vieram vários jogadores do Paulistano, como Friedenreich, Luizinho Mesquita de Oliveira (Copa de 38), Araken (Copa de 30), etc.

Era um esquadrão (chamado “Esquadrão de Aço”), e por isso, apenas 1 ano depois da fundação, o novo clube foi campeão em 31, em cima do Corinthians, diga-se. E foi vice em 32 e 33, com o Palestra Itália campeão. Em 35, por má administração o São Paulo faliu, mas torcedores, antigos fundadores, sócios, etc, se mobilizaram mais uma vez e refundaram o clube, com o MESMO nome, camisa, cores, escudo, em 16/12/1935.

O São Paulo comemora a sua “data magna” em 25/01. Isso é um fato. Teoria da conspiração achar que o São Paulo quer o título de 31, para ter mais títulos, e blá blá. Até porque sempre foi incluído nas estatísticas, pela imprensa, desde tempos idos. E ninguém do clube oculta os problemas que o São Paulo teve em 1935. Mas a história do SPFC de Friedenreich e seu precioso título (para um novo clube que surgia ante rivais mais velhos e consolidados na cidade) não pode ser subtraído da sua história de forma alguma. O legado desta conquista é importantíssimo, porque ela foi de suma importância, acredite, para o clube não ser extinto de uma vez por todas, em 1935.

Aquela derrocada, serviu de base para o São Paulo ser o que é hoje. O clube é bem administrado -com raras exceções- desde que Paulo Machado de Carvalho (“Marechal da Vitória” na Seleção em 58 e 62) assumiu a direção do clube ainda no fim do anos 30, e depois com a aquisição de Leônidas “Diamante Negro” em 1942 e as conquistas posteriores (paulistas de 43, 45, 46, 48 e 49), o clube voltou a ser firmar no cenário do futebol paulista.

O troféu está no Memorial, e a história do clube de 1930-35 pertence ao SPFC, e nem poderia ser diferente. E mais, o seu atual estatuto faz menção ao período do “São Paulo da Floresta”.
Para concluir, caso você não acredite nas minhas palavras, deixo um pequeno texto assinado pelo excelente Alberto Helena Jr. em seu blog, falando um pouco mais deste assunto. Por favor, leia:
http://colunistas.ig.com.br/albertohelenajr/2008/12/08/entre-a-fe-e-a-razao/

E deixo uma foto do São Paulo campeão em 1931, com Friedenreich e Luizinho na foto, no estádio da Floresta, com os mesmos símbolos, cores, camisa escudo:

***
Quadro de títulos do SPFC, com os técnicos campeões:

***

Enfim, tudo isso para dar subsídios para a conquista de 31, e fechar os 21 títulos paulistas da história são-paulina, OFICIALMENTE. Sei que você é corintiana, talvez toda esta história não lhe interesse muito, mas estes são os fatos, e não podem ser apagados, com elucubrações sem sentido ou deturpação da história.

Saudações Tricolores.
[]’s.

Comentário por Clayton

Segundo a FPF:

http://www.futebolpaulista.com.br/clube.php?cod=2&ref=1

A fundação do São Paulo se deu em 16/12/1935.

Um clube fundado em 1935 não pode ter um título de 1931 de uma equipe extinta por falência.

Um clube acabou e começou outro, o que é diferente do caso do Palmeiras com a mudança de nome, por exemplo.

Se depois o São Paulo resolveu se apoderar da taça de um time extinto é outro problema, mas não muda o fato de que uma agremiação acabou e outra diferente foi fundada um tempo depois.

De qualquer forma, com essa confusão apenas para se apoderar de um título, eu gostaria de saber em que data os são paulinos comemoram o aniversário do clube.

Talvez por conta desse desprezo com a tradição para se apoderar de um título é que a data de aniversário do São Paulo costuma passar batida na imprensa esportiva.

Comentário por Paulo (Shadow)

Paulo (Shadow), você está sendo no mínimo leviano, ao afirmar que o São Paulo “se apoderou da taça de um time extinto”.

Leia o texto do Alberto Helena ( http://colunistas.ig.com.br/albertohelenajr/2008/12/08/entre-a-fe-e-a-razao/ ), visite o Memorial do São Paulo, leia o seu estatuto, mande email a respeito para a FPF (que reconhece o título de 1931), ou a algum jornalista renomado e de credibilidade, e tire suas conclusões. Como eu disse, sem maledicências que não levam a lugar algum.

O São Paulo foi fundado oficialmente em 25/01/1930, Praça da República, nº 28. O clube comemora a sua data magna neste dia.

Foi refundado – palavra é esta REFUNDADO- com o mesmo nome, cores e escudo, em 16/12/1935. Foi o renascimento, digamos assim.

Só houve a 2º fundação, por causa da 1º. Isto é indissociável para a história do clube. Houve problemas na condução do clube, o que o levou a bancarrota? Sim. Como disse o Helena, era um São Paulo “perdulário”. Mas é um equívoco não fazer este resgate (ídolos, craques e o título), porque a instituição sempre foi a MESMA, com os mesmos fundadores, sócios, a mesma torcida, uniforme, escudo, etc…

O aniversário do clube, eu comemoro em 25/01, é óbvio. 79 anos em 2009. O próprio São Paulo comemora nesta data, com festejos dentro do clube.

Encerro a minha participação, porque tudo que podia ser esclarecido, já foi feito. São OFICIALMENTE 21 conquistas de títulos paulistas, com muito orgulho. Friedenreich foi o nosso 1º grande ídolo (e teve casa custeada pelo São Paulo até o seu falecimento em 1969). São fatos.

Saudações Tricolores!!!

Comentário por Clayton

Clayton,

Longe de mim querer criar polêmica, até porque voce fez um post muito bem elaborado e eu confesso que havia largado mão do debate, afinal cheguei a conclusão que um são paulino com boa capacidade de argumentação e pesquisa como voce, certamente conseguiria manter sua tese, coisa que no caso eu me garantiria se estivéssemos falando do Corinthians.

PORÉM, hoje navegando pela internet me deparo com a seguinte notícia, que, por acaso, partiu do site oficial do São Paulo:

REFORÇOS NO ANIVERSÁRIO TRICOLOR:

http://www.saopaulofc.net/spfc/noticias2NOVO2.asp?PLC_map_001_c=02.01&PLC_cng_ukey=39798132019O088CKS

PRIMEIRA FRASE DA MATÉRIA:

“No dia em que completa 73 anos de sua fundação, o São Paulo traz duas grandes novidades para o seu torcedor.”

E hoje é dia 16/12, data da fundação do São Paulo FC, não do São Paulo da Floresta, ou seja, então o clube comemora duas datas de aniversário?

Tem 73 e quase 79 anos ao mesmo tempo?

Diante disso, eu só posso voltar a ficar com a minha impressão de que o São Paulo joga qualquer tradição por água abaixo pra agir como lhe convém, na hora que convém.

Comentário por Paulo (Shadow)




Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: