Corinthians: Preto no Branco


Agora é Brasileiro!
dezembro 16, 2008, 11:25 pm
Filed under: Uncategorized

Hoje, 16 de dezembro de 2008, saúdo todos os alvinegros do Brasil – e do mundo – pois não poderia deixar essa data tão especial passar em branco. Tinha de ser em preto & branco!

Há exatos 18 anos o Corinthians conquistava o seu primeiro título brasileiro, mas não se tratava de mais um título apenas. Era a alforria e a consagração do povo, do time do povo!

Ah! Que gosto especial teve essa conquista! Foi na casa do nosso freguês, no aniversário do eterno freguês e vencendo o próprio freguês. Foi com a fiel torcida, presente como sempre, inflamando o Morumbi.

O técnico Nelsino Batista mandou o Coringão a campo com Ronaldo, Giba, Marcelo, Guinei e Jacenir, Márcio, Wílson Mano, Tupãzinho e Neto (Ezequiel), Fabinho e Mauro (Paulo Sérgio).

O time podia até não ser um grande esquadrão, é verdade, mas era uma equipe bem armada, de muita raça e que contou com dois nomes de peso: Ronaldo, com suas defesas fundamentais, era a liderança do grupo, e Neto, o xodó da Fiel, àquele responsável, grande responsável pelo primeiro título brasileiro do Timão.

Não se pode deixar de comentar Tupãzinho, o nosso talismã, ou Wilson Mano, o curinga da fiel, e toda essa geração que marcou a história do clube. Parabéns mais uma vez aos guerreiros de 1990, parabéns fiel torcida, parabéns Corinthians!

Os alvinegros estavam em festa, a voz do povo, que é também a voz de Deus, repetia orgulhosa de si própria: ‘Agora é Brasileiro! É Brasileiro…’ Talvez tenha surgido daí aquela expressão, tantas vezes repetida em solo nacional, que afirma ser Deus brasileiro, ou pelo menos faria sentido dessa forma… E naquele dia, 16 de dezembro de 1990, Deus foi mais do que brasileiro, foi corinthiano.

.

O 1º jogo das finais

O 2º jogo das finais – Timão Campão, vitória do povão!

.

Os números da vitória:

Foram 25 jogos, apenas 5 derrotas, 8 empates e grandes 12 vitórias. O Timão também marcou 23 gols e sofreu 17. Venceu as duas partidas finais, ambas contra o São Paulo e pelo placar de 1×0.

.

“Corinthians grande, sempre altaneiro

és do Brasil o clube mais brasileiro.”

Anúncios

13 Comentários so far
Deixe um comentário

Mostrando que cresce em decisões, o Corinthians reverteu a vantagem de seus três adversários nas fases decisivas.

Uma virada fantástica que só se concretizou a 5 minutos do fim, num jogo épico contra o Atlético MG no Pacaembu deu ao Timão a vantagem do empate em BH e com um 0 X 0 veio a vaga para a semi-final.

Contra o Bahia a história se repetiu, nova virada no Pacaembu, também por 2 X 1 e depois um 0 X 0 na Fonte Nova.

O Corinthians chegou a final ultrapassando o São Paulo em pontos, mesmo assim a vantagem ficou com o adversário, pois na época se alegou que na decisão os empates seriam de quem tivesse um saldo de gols superior até então na competição.

Wilson Mano aos 5 minutos do primeiro tempo garantiu a vitória na primeira partida e Tupãnzinho entrou pra história ao marcar o gol do título no segundo jogo para 85 mil Fiéis que deixaram apenas 30 mil lugares de espaço para a torcida são paulina, numa época onde não haviam divisões para equiparar torcidas de tamanhos tão distintos.

Larissa: Perfeito! Abraços alvinegros.

Comentário por Paulo (Shadow)

Se não for sofrido, não é Corinthians 😉

Vitória do time do povo, contra o eterno freguês SPFC

Que em 2009 conquistemos lindas vitórias como essas

Adversários, o CORINGÃO voltou

Abraços alvinegros

Larissa: É isso aí! Abraços alvinegros.

Comentário por Diego

Essas finais não foram nada sofridas, nunca deixei de ter a mais absoluta certeza de que seriamos campeões, apesar de já existir na época o propalado apito rosa, estávamos em confronto contra nossos maiores fregueses. Foi caixa, foi tranquilo. Vai Timão!

Larissa: Dos sofridos, o mais tranquilo. Abraços alvinegros.

Comentário por David Emmanuel

Oi Larissa …..Eu estava nesse jogo . Inesquecivel , ainda mais que foi contra nosso fregues . Abraço . Boas festas

Larissa: Inesquecível é pouco! Obrigada, pra você também. Abraços alvinegros.

Comentário por MAURICIO GOMES

Lindo texto, realmente eu me lembro com muita emoção, mesmo na epoca eu sendo muito jovem, eu compreendia a euforia em minha casa, não era só um time que ganhava um titulo, uma nação ganhava um presente!

Vai Timão, não pare de lutar!

Larissa: Obrigada. Com certeza, as glórias do Corinthians estão sempre além de título por título. A maneira corinthiana de conquistar é que atribui toda emoção. Abraços alvinegros.

Comentário por Felippe

Foi o primeiro Nacional e teve um sabor especial..

EU TAMBÉM FUII!!

O morumbi que tem 12 gomos de arquibancada no nível superior, 9 eram da mais Fiel e os outros 3 ficaram para os donos da casa naquele dia.

Só dava São Paulo, o contra ataque iniciado por Tupã que tabelou com Fabinho e foi morrer nas redes tricolores, colocou o estádio abaixo.

A partir daí, só deu Timão. Aos São Paulinos restou sair do estádio faltando 5 minutos para terminar o jogo, pois o Salão de festas havia sido novamente ocupado.

CORINTHIANS CAMPEÃO !!

Larissa: Essa é a sina do time de lá. Abraços alvinegros.

Comentário por Caverão do Timão

Caramba!!!! 18 anos, eu estava lá, nos dois jogos, parece que foi ontem, putz tô ficando velho!!!! Aquele dia o grito de ”é campeão é campeão” ficou na mente por um bom tempo, o primeiro título que comemorei num estádio, e a galera só no ”timão eeeooo timão eeeoooo” e claro o ”pórópópó” só pra ficar bonito. e ao final a inesquecível marcha ”ai ai aai tá chegando a hora o dia já vem raiando meu bem eu tenho que ir embora…… VAI CORINTHIANS AI AI AAI TÁ CHEGANDO A HORA O DIA JÁ VEM….” Cara aquilo foi muito bom, cheguei no estádio 4 horas antes do portão abrir, o primeiro jogo cheguei no estádio as 14:00 o jogo era as 21:30 o segundo cheguei as 11:00 da manha, com certeza tinha mais de 100 mil torcedores no morumbambi, e aquela zica chacoalhava, aquele dia achei que o morumbí ia cair, o estádio pulsava, ao som da torcida alvi-negra, relembrar esses gols e principalmente a campanha, jogo a jogo, na época o Neto jogava o corinthians ganhava, Neto não jogava ao menos um empate o time arrancava, e Tupazinho, Fabinho, Ronaldo, Wilson Mano, Giba o carrapato que era o Ezequiel, Paulo Sérgio, Até o Mauro (ponta esquerda na época), ruim pra caramba, mas a galera se divertia com ele, esse foi um grande time guerreiro, tanto que daí só o Paulo Sérgio foi jogar lá fora um tempo depois. Abraço alvinegro

Larissa: É leitores… Vocês estão ficando velhos… Vocês tá? (risos) 🙂 Abraços alvinegros.

Comentário por Toel

Muitos atribuem a atual “pseudo-hegemonia” do são paulo à organização do clube. Nada mais falso.

No começo do campeonato eu, Corinthiano que sou, nunca imaginava que esse time de 1990 pudesse disputar o título.

Alguns anos antes, o Corinthians tinha um elenco dos melhores que eu vi jogar, com Sócrates, Casa Grande, Zenon, Wladimir e cia. e mesmo assim não conseguiu um título nacional.

Em 1990, com um elenco com qualidade considerada por todos inferior à de outros times, o Corinthians que se classificara em oitavo lugar, conseguiu atropelar três times supostamente superiores e conseguiu o caneco.

A questão é que o elenco, com poucas exceções, tinha pouca qualidade técnica, mas sobrava em raça. E essa raça aumentava à proporção que o campeonato ia adiante.

Era um time com onze jogadores tinhosos. Com um elenco desse tipo, não há time de estrelas que lhe faça frente.

Os outros três títulos, ao contrário desse, foram obtidos tendo elencos de qualidade inquestionável, mas com jogadores que nunca primaram pela união.

Isso prova que no futebol nem sempre prevalece a “lógica” propalada pelos comentaristas esportivos, sempre mutantes em suas avaliações conforme a conveniência e donos da verdade.

Larissa: Futebol, pra mim, nunca se trata de lógica… O Corinthians está aí para provar que a paixão é que torna o esporte especial como é. Abraços alvinegros.

Comentário por Luís Carlos

tinha oito anos na época, meu pai e a familia dele eram são paulinos. a familia de minha mãe era em sua grande maioria palmeirense com alguns corinthianos. apesar de hoje ela ser corinthiana, na época ela não torcia pra ninguem, apesar de gostar do Corinthians. foi nessa época que me tornei corinthiano, não que tenha torcido por outro antes, mas foi ai que comecei a torcer por um time…pelo menos é minha lembrança mais antiga. apesar de alguns baterem no peito por terem grandes conquistas internacionais e uma estrutura melhor, sei que fiz a escolha certa e não faria diferente nos dias de hoje.
amor a primeira vista!

Larissa: Você não poderia ter feito escolha mais certa! Admiro ainda mais os corinthianos oriundos de famílias torcedoras dos rivais, estes escolheram ser Corinthians pelo que ele é, pelo que somos, pelo que representa pra nós. Abraços alvinegros.

Comentário por Rafael Mateus Pires

Inesquecível.
Principalmente o gol do Neto no maracanã contra o flamengo, gol que se não tivesse saído o Corinthians estava fora do campeonato (e que golaço !), e a derrota do goias para a portuguesa no canindé no ultimo jogo antes do mata mata para classificar o Timão.
Parabéns timão

Larissa: Grande Neto! Abraços alvinegros.

Comentário por Márcio Lopes

eu devia torcer pro botafogo, porque lendo todas essas respostas eu já comecei a deixar as lagrimas cairem (chororo), EU AMO ESSE TIME, ele surgiu pra mim em 1974, qdo eu, vindo de familia q. torcia para time carioca, resolvi escolher o CORINTHIANS, como estilo de vida, e Deus sabe como eu fiz a escolha certa, apesar de meu pai comprar camisas do time q. ele torcia, ele até hoje não entende essa paixão, esse fanatismo, então eu digo pra ele que não é só isso é CORINTHIANISMO!!!!

BJS, LARA E SDS. FENOMENAIS!!!!

Comentário por Eduardo

Hehehehe pois é Larissa o tempo passa o tempo voa, mas meu coração alvinegro com 34 (quase 35 anos) continua numa boa rsrsrsrs.

Comentário por Toel

Telê Santana errou ao deixar o ótimo zagueiro Ricardo Rocha na reserva, pra entrar o mediano Ivan. Um dos poucos erros do “Mestre”. Mas este São Paulo ainda não era a máquina multicampeã, de 1991-1993. Era inferior.

O São Paulo conquistou neste período, somando taças de menor expressão (Ramón de Carranza e Teresa Herrera, por exemplo) mais de 15 títulos. Marca imbátivel.

Mas este título tem que ser comemorado pelos corintianos. 1º porque foi em cima do maior campeão brasileiro, 2º porque foi um dos poucos sem ajuda de parceria e 3º porque tirou o time do “provincianismo” estadual para o nacional pela primeira vez.

Mas o número de títulos surreais e digamos, “sofridos” do São Paulo é bem maior do que seu time. Isso é inegável. E posso citar exemplos, se necessário.

ST!

Comentário por Clayton




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: