Corinthians: Preto no Branco


De competência solúvel
fevereiro 7, 2009, 9:46 pm
Filed under: Uncategorized

O Corinthians protagonizou na tarde deste sábado uma das partidas mais longas de sua história. Contra a Portuguesa, no Pacaembu, o alvinegro entrou em campo às 17:00 horas, o jogo, no entanto, terminou quase 20:30. Tudo porque, após o primeiro tempo sem gols, um dilúvio inundou o estádio, o campo ficou sem condições de jogo e a iluminação caiu. O árbitro Flávio Guerra, diante da situação, afirmou que a partida estava encerrada, o alto-falante do Pacaembu também e a torcida foi embora. Todos desceram para os vestiários e foi lá que o árbitro recebeu uma ligação com orientações da Federação Paulista de Futebol para que se aguardasse mais trinta minutos e, se o gramado estivesse em condições, retomasse a partida de onde ela parou, ou seja, dos quatro minutos da etapa complementar.

No meio da confusão, os jogadores do Corinthians já haviam feito um lanche, tomado banho e estavam saindo do estádio quando foram avisados que o jogo poderia recomeçar. Os portões do Pacaembu foram abertos e a torcida que ainda se encontrava na região voltou para as arquibancadas. Pobre dos que pagaram a bagatela de R$70, R$100 ou R$150 Reais para acompanhar apenas o primeiro tempo, nos melhores setores do estádio e tiveram de ir embora, graças ao aviso de que não haveria mais jogo.

Bastou um imprevisto para a Federação Paulista de Futebol mostrar que a sua competência é facilmente diluída em água. A explicação, passada por Antônio Carlos, diretor de futebol do Corinthians, foi de que a partida deveria ser concluída no mesmo dia, por ordem da FPF que alegou ser impossível o adiamento da mesma por falta de espaço na agenda da competição. Esqueceram de considerar, no entanto, que há pelos menos duas datas vagas, posto que as partidas das duas primeiras fases da Copa do Brasil são distribuídas, não em duas, mas em três datas cada uma.

Incrivelmente, o jogo foi reiniciado cerca de uma hora e vinte e seis minutos depois da paralisação, com pouco público e pouca vontade. Pudera! Jogador não é nenhum tipo de máquina para aquecer, jogar, parar, comer, tomar banho, aquecer e, novamente, jogar. Por consideração à situação atípica, seria leviano apontar as falhas que a equipe alvinegra, em vantagem numérica desde os 14 minutos graças à expulsão de Ediglê, apresentou na etapa final. É impossível, no entanto, deixar de destacar a recorrente displicência de André Santos, a pífia estreia de Jean (que tantas alegrias nos deu na zaga do São Paulo), a garra e personalidade de Otacílio Neto ao marcar o único tento do Timão e a inabilidade do atacante Souza em acertar o gol. Souza que ouviu a torcida, em coro, pedir a volta de Herrera, com certeza não somente pelos gols do argentino, mas porque diferente do jogador do Carlos Leite, Herrera participava, ainda que não marcasse sempre, de todas as jogadas e Souza simplesmente nunca está posicionado, não acompanha o tempo da bola e quando ela sobra em seus pés ou cabeça ainda desperdiça chances imperdíveis.

Todavia, foram os fatores extracampo – e não os gols – que roubaram a cena na tarde deste sábado. Dentre eles, a suposta acusação do ex-preparador físico do Timão, Flávio Trevisan, hoje na Lusa, ao sugerir aos repórteres que a culpa pelo reinício impróprio da partida seria do diretor corinthiano Antônio Carlos Zago. Segundo Trevisan, Zago “age por trás” nas decisões e “pensa que manda”. Vale ressaltar que o preparador deixou o Corinthians extremamente magoado com o treinador Mano Menezes e culpando, principalmente, Zago por sua injusta dispensa.

Outro fato marcante foi a atitude do árbitro ao se utilizar do emprego de palavras para justificar a sua precipitação em dar a partida como encerrada, informação que ocasionou a debandada de torcedores. Quem acompanhou Corinthians x Portuguesa pelo Premiere Futebol Clube viu quando Flávio Guerra decretou o fim do jogo em entrevista ao Cereto, no entanto, questionado posteriormente pelo mesmo repórter, o árbitro culpou a terminologia dizendo que informou que a partida estava suspensa e que isto significava por tempo indeterminado e com possibilidade de volta. Santa cara-de-pau!

Anúncios

9 Comentários so far
Deixe um comentário

Quanto ao Souza, este dispensa comentários. Meu vizinho é flamenguista e assina o PFC. Por isso, sempre vejo os jogos do Flamengo. Confesso que para mim o Souza não é uma decepção, está dentro das minhas expectativas. Acredito que melhora ainda, mas muito pouco. Ele tem potencial para marcar 1 gol para cada 4 perdidos.

Quanto a confusão no estádio, foi um absurdo. O torcedor mais uma vez é o grande prejudicado. Eu estive lá e não pude acompanhar o fim do jogo, pois foi anunciado que o jogo tinha sido adiado. Mas discordo quando você afirma que o primeiro tempo foi sem graça, pois para mim o Timão jogou bem. Aliás, melhor do que ultimamente e contra um adversário mais qualificado. Mereciamos a vitória hoje, mas o Jean discordou.

Larissa, você não vai falar nada no teu blog a respeito dos não-pagantes? Quando assumiu a presidência do Corinthians, Andrés Sanchez afirmou que iria investigar o alto número de não-pagantes nos jogos do Timão e acabar com a distribuição excessiva. Porém, basta a proximidade das eleições para que o número cresca de forma “misteriosa”. Contra o Oeste foram 1.500, número alto quando comparado a outros jogos do Corinthians. Eu não sei exatamente o valor, mas acredito que a média seja por volta de 900, 1.000 não-pagantes por jogo. Hoje o número me assustou: 2.500! Não me lembro de ter visto algo parecido em jogos do Todo Poderoso.

Abraços Alvinegros

Larissa: Vou sim Caio, já comentei em outros até… Mas quero fazer um post sobre isso, ainda mais depois da cena que vi hoje nas numeradas: camisas piratas do time com o nome ANDRÉS, ao invés do logo do patrocínio. Justo nos setores onde nós sabemos que entram muitos penetras e justo no setor mais caro do estádio. Abraços alvinegros.

Comentário por Caio Junqueira

Foi só pegar um joguinho mais ou menos, em termos de tradição de disputa, já que a Portuguesa não é nenhum “esquadrão de primeira linha”, que o time já se complicou.

Com um a mais em campo, sofremos um gol de uma equipe que veio apenas pra se defender, isso porque não bastasse os LATAS do terrão, dessa vez ainda “importamos” um legítimo LATA do “terrão Bambi”, que já chegou mostrando seu cartão de visitas, como na época em que fazíamos a festa em cima do São Paulo, antes deles se livrarem de seus LATAS do gênero e nós entrarmos na era dos nossos.

Sobre o Souza eu não devia nem comentar, pois, pelos valores gastos com o jogador, alguém deveria entrar com um pedido de impeachment pela irresponsabilidade com o dinheiro de uma instituição.

E olha que na época eu ainda não tinha os números que posteriormente o Gremio conseguiu pagar pelo Herrera.

Essas negociações com o “mano do Mano” ainda arrebentam com o clube…

De resto, é aquilo lá, um adversário fechado, a gente com um técnico que na contusão de um lateral colocou outro e na necessidade de outros meias só teve a “ousadia” de manda-los a campo no lugar dos meias que já estavam e por aí vai…

Agora chega de comentar esse jogo de 4 horas de duração.

Larissa: Ainda considero um jogo atípico para analisa-lo taticamente. Continuo aguardando o próximo confronto “de nível” para atestar a qualidade do nosso elenco. Abraços alvinegros.

Comentário por Paulo (Shadow)

Parabéns pelo trabalho. Textos muito bem escritos, lucidez. Raridades em dias de tanto “frenesi” da mídia e de tanta gente ignorante e despreparada comentando sobre futebol.
Quanto ao que houve hoje no Pacaembu, absurdo, falta de respeito total. Infelizmente, nada que deva nos surpreender, não é mesmo?…
Saudações alvinegras.

Larissa: É, infelizmente mesmo, Lucas. Obrigada pelas palavras. Abraços alvinegros.

Comentário por Lucas

A verdade é que não se pode tirar nenhuma conclusão verdadeira sobre esse jogo, já que a chuva e a palhaçada da federação puseram esse embate na história do futebol, mas pela porta dos fundos.

O curso natural do jogo foi bruscamente interrompido, já que os jogadores tomaram banho, se alimentaram, e já se preparavam para ir embora quando receberam a notícia que teriam que aquecer, voltar a campo e jogar o restante do jogo. Você Larissa, que é psicóloga, pode atestar que isso afeta muitas coisas como motivação, concentração, estímulo e outras de carárter psicológico, além da parte física, é claro.

Muito embora isso valha para os dois times, e não dê para reclamar do resultado.
Agora quanto ao desrespeito ao torcedor, é um absurdo, muitas pessoas foram embora e perderam por algo que pagaram, em muitos casos valores altos.

E eu que pensei que teríamos um bom jogo com os retornos de Morais, Douglas e Jorge Henrique…

Mas pelo menos continuamos invíctos e no G4, e o que vai valer mesmo é quando começarem os clássicos, muito embora alguns times como Baruerí e Santo André estejam jogando bem e podem dar trabalho para os grandes.

Abraços,

Freeman,

Larissa: Concordo contigo, Freeman. Abraços alvinegros.

Comentário por José Freeman Junior

Souza e Jean, ninguém merece essa dupla, um na frente perdendo gol atrás gol e o outro atrás entregando gol atrás de gol. O Otacílio pode ser um grande perna de pau, mas é duzentas vezes melhor que o Souza, aliás, o “nada” é melhor que Souza, o cara joga de zagueiro pros adversários. Sinceramente, minha paciência com esse “jogador” acabou.

Larissa: É, de fato ninguém merece. Faço apenas uma ressalva quanto ao Otacílio Neto, por não considera-lo um perna de pau, na realidade, em minha opinião, é a melhor opção do elenco no setor ofensivo. Abraços alvinegros.

Comentário por David Emmanuel

[…] Otacílio Neto ao marcar o único tento do Timão e a inabilidade do … Veja o post completo clicando aqui. Post indexado de: […]

Pingback por inabilidade.net - Competência solúvel « Corinthians: Preto no Branco

Me expressei mal: Não quis dizer que o Otacilio é um perna de pau, apenas foi uma colocação que ele não é craque. Admiro nele a vontade e garra, tem jogado muito bem pela esquerda, e dos atuais jogadores, para mim já seria o titular.

Larissa: Compreendido! Abraços alvinegros.

Comentário por David Emmanuel

Sei não… O Timão tava perdido em campo. Se jogar assim contra o São Paulo…

Larissa: Vale ressaltar que o São Paulo levou baile do Santo André, por pouco não levou do fraco Botafogo, enfim, não vejo diferenças gritantes, mas é certo que o Timão precisa melhorar. Abraços alvinegros.

Comentário por jeff

A perseguiçao ao Zago eh simplesmente nojenta, e o Trevisan mostrou porque precisaria ser demitido como foi.

E o Timao, mesmo com um jogador baleado a cada rodada, deu show de bola, e colocou a lusa na roda, que nao viu a cor da bola.

Torço para que o Shadow, como corinthiano que sou, quebre a cara, e esteja redondamente enganado.

Larissa: Registrado. Abraços alvinegros.

Comentário por ToFicandoRouco




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: