Corinthians: Preto no Branco


Um dia ruim e outros sustos
abril 30, 2009, 9:03 am
Filed under: Uncategorized

ro-fratura1

Em primeiro lugar é adequado, para começar o dia com o pé direito, pedir desculpas aos leitores deste blog pelo atraso do post pós-jogo no qual, imagina-se, todos gostariam de comentar a situação atípica da partida de ontem, em Curitiba, pela Copa do Brasil.

O Timão infelizmente perdeu a invencibilidade frente ao Atlético Paranaense, conhecido freguês alvinegro, num jogo irreconhecível da equipe corinthiana, como bem definiu o arqueiro Felipe. Até ontem, o time do Parque São Jorge era o único invicto do Brasil e um dos últimos também do mundo. Não amargava uma derrota desde 09 de agosto de 2008, quando perdeu do Vila Nova, em Goiânia, por 2 a 1, pelo menos na concepção da blogueira, que não contabiliza a derrota para o América de Natal, no dia 29 de novembro, na última partida da Série B, pois nem o time reserva foi a campo, e o Corinthians jogou com os terceiros reservas e não dá para considerar que a equipe campeã, já em férias, tenha perdido aquele confronto que, diga-se de passagem, livrou o América do rebaixamento para a Série C. 

O corinthiano esqueceu o que é perder, mas ontem parecia mesmo que não era dia de alvinegro levantar da cama. A manhã teve início com a vergonha na venda dos ingressos para a final do Paulistão, manchete em todos os jornais e muito descaso com o torcedor. Depois veio a notícia de que Sálvio Spinola Fagundes Filho, vulgo Sálvio Santos, apitará o confronto decisivo do estadual, o mesmo árbitro que em 2008 limou o time mosqueteiro da competição invertendo o resultado do jogo entre Santos x Corinthians. Se já era inadmissível ele constar no “sorteio”, apitar, então, é inconcebível e vergonhoso.

Só restava mesmo torcer pelo Coringão, emplacar na Copa do Brasil e esquecer as notícias da quarta-feira, mas o time resolveu entrar em campo displicente, com a cabeça em outro campeonato e muito parecido com aquela equipe que perdeu o título para o Sport em 2008. Em Curitiba, o time foi quase completo e esse quase, especialmente nas ausências de Alessandro, Jorge Henrique e William, fez muita diferença.

O que se viu foi um festival de erros que pareciam nem importar para o Timão. Até Chicão, o zagueiro-artilheiro, foi infeliz na cobrança de um pênalti. Os jogadores perdiam gols e… Nada, mal esboçavam aquelas típicas reações que os atacantes tem quando erram o chute cara-a-cara com o goleiro, sabe? E olha que Morais e André Santos desperdiçaram chances valiosas. O Atlético, por outro lado, aproveitava e fazia pressão, mesmo sendo o time de Rafael Moura e Geninho, aberrações do futebol.

O Corinthians conseguiu levar até três gols do time paranaense, incluindo um de Rafael Moura, mas para diminuir a desvantagem resolveu jogar um pouco de futebol nos minutos finais do jogo e foi Jesus Cristian, aos 41 minutos, quem iniciou a reação com uma bela cobrança de falta que foi parar no fundo da rede. Depois foi a vez de Dentinho, pífio até então, dominar dentro da área, aos 47, e fazer o gol que tranquilizou a vida do Timão na competição. Como a Copa do Brasil valoriza os tentos marcados fora de casa, basta uma vitória simples no jogo de volta, no Pacaembu, para que o Corinthians avance às quartas-de-final.

A passagem do Timão pela capital paranaense contou também com uma contusão de Ronaldo, que deixou o campo com suspeita de fratura na costela por conta de um choque com o adversário, para desespero da Nação que respirou aliviada logo após a meia-noite, quando as suspeitas, felizmente, não se confirmaram. Era outro dia que começava, melhor para os corinthianos.


21 Comentários so far
Deixe um comentário

Creio que o timão entrou de salto alto, Larissa.

serve de lição pra domingo.

Mano vai aproveitar isso, com certeza

Comentário por Marco

Eu não sei bem se foi salto, não consigo exnergar essa característica no time do Corinthians, justamente por ser uma das únicas coisas que eu sempre gostei no Mano. A ponderação e excesso de zelo que ele tem em campo me desagradam, mas fora dele acho bem positiva na equipe. Eu acho mesmo é que eles estão bem focados no Paulista, desejando levantar a Taça e não conseguiram se desligar do Estadual, embora acho que o Mano tenha trabalhado isso com o time, é difícil. Mas fazer o quê? Não se pode, como eu gostaria, ganhar sempre e isso a minha mãe sempre tentou enfiar de alguma forma na minha cabeça hehe. Bola pra frente e que não perca domingo, afinal, título invicto tem outro sabor! Abraços alvinegros.

Comentário por Larissa Beppler

Concordo com o Marco. Entrou sem pegada, relaxado, desligado. Melhorou apenas quando tomou o 3 a 0. Ao menos, fizemos dois gols e temos ótimas chances de classificar. O Atlético-PR saiu de campo com um gostinho de derrota. O time tem que levar a Copa do Brasil a sério, mesmo diante de uma final contra o Santos.

Comentário por David

A tendência é que com o encerramento (e título, se Deus quiser) do estadual, isto aconteça naturalmente e o Timão entre com mais pegada na Copa do Brasil, mas é claro que nada justifica profissionais do futebol não conseguirem separar uma coisa da outra. Abraços alvinegros.

Comentário por Larissa Beppler

http://blogs.lancenet.com.br/alemdojogo/2009/04/29/a-taca-e-a-fila/

A taça e a fila

por Marcelo Damato

Aconteceu nesta manhã no Pacaembu. Foi um dos raros momentos em que a turma do andar de cima se encontra com a do andar de baixo.

No Museu do Futebol, uma cerimônia de terno e gravata, a apresentação da Taça Fifa, que ficará na cidade por um par de dias. O cerimonial que envolve a taça é impressionante. Só uma pessoa pode tocá-la, ainda assim com luvas, para que seu suor não a macule – como se Joseph Blatter não suasse. A taça do esporte do povo foi transformada numa espécie de Santo Sudário – a imensa maioria das pessoas só podem vê-la por fotos e somente os sacerdotes do futebol podem tocá-la. Os cartolas tratam o futebol como religão e obviamente se colocam como uma hierarquia de sacerdotes.

Na cerimônia, estavam os “sacerdotes” e os governantes representantes do poder público.

Do lado de fora, os deserdados. Corintianos se aglomeravam para comprar um punhado de ingressos e não tinham direito a nada, nem conforto, nem informação. Queriam apenas um senha para entrar no templo, no dia em que julgam ser a consagração de seu deus no Panteão do futebol.

Mas como eram muito maltratados, começaram a berrar, propositalmente para que os “sacerdotes” os ouvissem e fizessem alguma coisa. Os gritos atrapalharam a cerimônia da taça nessa Capela Sistina do Pacaembu.

E aí as autoridades fez o que sempre faz sempre que o povão “atrapalha” contraria os bacanas.

Chamaram a polícia.

Comentário por Bruno

Foi muito, muito bem o Damato nesta. Lamentável o ocorrido, inesquecível, aliás. Abraços alvinegros.

Comentário por Larissa Beppler

Olha essa notícia: http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2009/04/30/ult59u196944.jhtm
Qualquer coisa é motivo de punição ao Corinthians. Daqui a pouco o Santos vai entrar com uma representação contra o Ronaldo por ele ter humilhado o Santos em plena Vila Belmiro.

Comentário por David

Praxe! Contra tudo e contra todos, Vai Corinthians! Abraços alvinegros.

Comentário por Larissa Beppler

Grande resultado obtido pelo Timao, em plena arena do Furacao, lotado. O desempenho ruim foi da defesa, na minha opiniao Fabinho atrasou sempre as jogadas, sem velocidade.
De resto, gostei demais do time, com a sua principal caracteristica, isto eh, com qualquer resultado, nunca deixa de jogar.
Fosse uns tempinhos atras, por exemplo, com Geninho do nosso lado, ontem era uma dia para o Timao tomar de 6, e gerar uma crise.
3×2, foi um grande resultado, melhor que 1×0.
Temos agora, 2 resultados possiveis, ou seja, 1×0, e 2×1, melhor do que derrota por 1×0.
A gente precisa ver sempre o copo meio cheio.
Outra coisa, quase perdemos o Ronaldo por contusao. Entao essa questao de poupar jogador nunca deve ser criticada adredemente para nao se comenter injustiças.
Ja estao criticando por ai, o fato de nao ter poupado Ronaldo.
Mas isso eh pura cornetagem, pois teria cornetado mesmo se houvesse poupado.
A defesa perde muito sem Chicao para domingo, assim como perdeu muito sem Willian ontem.
E, se Moraes, Octacilio, e A. Santos, e até Chicao, tivessem aproveitado os lances limpos de gol, teriamos vencido.
Mas, nem sempre acontece o que vimos na Vila, onde aproveitamos 100% das oportunidades, ou seja, as únicas 3 que criamos.
Domingo, e quarta feira proxima precisamos exorcizar todos esses maus agouros que se ve por ai. Comentarios do Neto, ja tirei da minha pauta, quem gosta de urubu eh carniça. Sai Zica.
Saudaçoes Corinthianans, para Domingo, e Saudaçoes Alvinegras para quarta.

Comentário por Thiago Ferreira

Eu já acho que foi mérito tático do Atlético, que isolou o meio de campo e jogou em cima do André Santos e Fabinho, que além de tudo não estavam bem.

O coitado do Diego, não sabia nem quem marcar de tantos que entravam facilmente na nossa área e o Chicão também estava perdido porque além do mesmo problema, teve que ficar de olho no Diego também.

Acho que o Mano teria que fazer a correção já no primeiro tempo. Boquita no lugar de Douglas ou Moraes e, se isso não bastasse, Alessandro no lugar de Fabinho.

Não me preocupei com o Ronaldo não. Se houvesse alguma fissura na costela ele sairia de maca direto para a ambulância e hospital tamanha é a dor. Sabia que era problema muscular porque no intervalo, quando o corpo esfria um pouco, é que aparecem dores do além.

Bom, o importante de tudo é que o Atlético não conseguiu segurar dois gols nossos mesmo após ter três de vantagem, o que demonstra não ser um time a ser temido. E nesse campeonato esquisito, perder de 3 a 2 e empatar em zero a zero é a mesma coisa. E zero a zero na baixada não deixa de ser um bom resultado.

Comentário por Luís Carlos

Larissa,

Você viu que já começaram as especulações?

Jucilei (volante) do J. Malucelli e Edu (nosso Edu) do Valência parecem estar quase certos segundo a imprensa.

Aí aparecem na lista Tinga (volante) do Borussia; Deco (meia que jogou dois jogos pelo timão) do Chelsea; e os centroavantes Vieri, que está sem time e Crespo da Inter de Milão. Além de Verón (volante), que como se sabe poderia vir no meio do ano.

Espero que não venha mais um Souza no lugar de jogadores mais badalados como os acima, repetindo a história. E haja volantes neste mundo !

Comentário por Luís Carlos

Estou acompanhando, mas como costumam se confirmar, no máximo, 1% destas especulações, fico de longe até que algo de concreto surja. Além destes que você já citou, parece que Edu já teria acertado até salários, mas enfim… Abraços alvinegros.

Comentário por Larissa Beppler

Larissa, Você reparou que no penalti que o chicão perdeu, o jogador do Atletico PR que rifou a bola invadiu a area? Esse penalti deveria ter voltado. Se fosse no pacaembu ele voltaria, acho que o fator CASA pesou nesse momento.

Comentário por Rafael

O Geninho é corinthiano e não perde jogo do timão. Sabia como vencer. Usando bolas rápidas enfiadas atrás da defesa que joga e sai em linha. Espero que o Mancini não tenha visto o jogo. Outro detalhe, nossos laterais são muito fracos e ficam mais ainda por serem obrigados a atacar e defender. O Fabinho tentou ficar e cobrir a zaga, pois é um zagueiro de origem. O técnico empresário não sabe o que aconteceu, até agora.

Comentário por loumello

O Elias jogou mal. Foi porisso.

Comentário por Thiago Ferreira

Nossa, adoro seus posts. Você pensa exatamente o que eu penso em tudo que escreve e escreve muito, mais muito bem =). Aquela hora que você falou da cara do jogador que perdeu o gol lembrei na hora quando estava vendo o jogo, o Moraes perder aquele gol incrível(o mesmo vale 3 milhoes de Euros ¬¬) e foi cobrar escanteio como se nada tivesse acontecido. Está certo que “bola pra frente” mais perder aquele gol está de brincadeira né???

Leitor ativo, Diego.

Comentário por Diego Porfirio

O time entrou nitidamente desligado, rendendo-se à marcação do adversário. Porém, há a parte boa: indicar aos jogadores que não é tão difícil assim tomar três gols numa partida.

Comentário por jeff

Talvez tenha acontecido alguma displicência, por mais que se trabalhe esse lado, fica difícil o jogador não pensar que está na reta final de outro campeonato, até mesmo o torcedor estava levando esse jogo em banho-maria (qual será a origem dessa palavra? Era a Maria uma bahiana ou uma mineira?), a preocupação era 90% domingo.

Sinceramente o que menos lamentei foi a perda da invencibilidade, foi de uma forma, como disse o Benja, muito louca, pois apesar do placar o Timão saiu com um gostinho de vitória.

O que não gostei é que no segundo tempo o time teve que correr mais que o previsto e dai um desgaste que poderia ter sido evitado. Se formos (e seremos) campeões no domingo, não vai ter espaço pro elenco relaxar, pois na quarta continua tudo. Que esse jogo sirva de lição.

Comentário por David Emmanuel

Larissa, observador que sou das coisas do Futebol e do Corinthians, achei que de certa forma aconteceram dois fatos relevantes ontém.

Uma delas normal, uma certa dificuldade do Corinthians em jogar a partida, depois de uma sequência de jogos decisivos(contando o de ontém), os 3 na casa do adversário, e os 3 contra equipes de bom nível do futebol brasileiro.

A outra coisa foi o Atlético, que veio para cima, inflado pela torcida e até os 42 minutos do 2º tempo teve a competência e a sorte a seu favor, pois em seus 3 gols contou com erros de posicionamento da defesa Corinthiana, sendo que no 3º a bola chutada sobrou fácil para o jogador empurrar para as redes.

Mas…

Se esqueceram que o Futebol, o esporte dos poucos pontos, cobra caro dos que se postam na defesa e abdicam do meio de campo e da posse de bola.

Resolveram postar-se atrás e segurar o Corinthians, que nós sabemos, NUNCA SE ENTREGA.

E com o regulamento a seu favor, tratou de ir pra cima e marcar 2 gols que farão toda a diferença no Pacaembú, que a Fiel tratará de lotar novamente semana que vem.

Além disso, serviu de alerta para a final contra o Santos, e o Mano sabiamente usará o exemplo desse jogo para alertar os jogadores.

Abraços,

Freeman(Zé Favela).

Comentário por José Freeman Junior

O Corinthians tentou, mas não entrou concentrando o bastante para mostrar todo o seu futebol contra o Atlético na Arena da Baixada.

A cabeça está na grande decisão do próximo domingo.

O título do Paulistão-2009 vale muito.

Há anos os quatro grandes não chegavam juntos à semifinal.

Nesse campeonato, foi desmoralizado o discurso de que “o campeonato paulista está decadente”, e que o que interessa são os torneios nacionais e a Libertadores…

Se o campeonato paulista não valesse nada, a bambizada não teria jogado com os jogadores reservas na Libertadores para poupar o time titular para enfrentar o Timão.

O San7os não conseguiu se focar e foi eliminado na Copa do Brasil porque estava com a cabeça na final do Paulistão contra o Corinthians. O próprio Corinthians quase se complica na Copa do Brasil porque também está de corpo e alma no paulistão.

O campeão do próximo domingo vai conquistar o maior Paulistão do século XXI. É um SUPER PAULISTÃO.

Para o Corinthians, o título terá ainda outros significados.

Será o primeiro título após a volta da Série-B do Brasileirão.

Será o título que garantirá, praticamente, a base do atual elenco e mais o comando técnico para o grande ano do centenário, em 2010.

Se o Corinthians for campeão, e ainda por cima não perder a partida, o feito será extraordinário, pois há 37 anos um time não conquista o Paulistão de forma invicta. Para o Corinthians, seria a quinta vez que isso ocorreria na história, sendo que a última vez que isso ocorreu foi há 71 anos.

Apesar da grande vantagem que construímos para a finalíssima, que nos permite perder por até dois gols de diferença e ainda sermos os campeões, todo cuidado deve ser tomado, e a concentração tem que ser total.

O futebol é imprevisível, do que advém grande parte do seu fascínio. Além disso, a inveja dos anticorinthianos, e a intolerância que eles têm por nossos feitos, são capazes de criar enormes obstáculos, mesmo ilícitos, em nossa trajetória.

Raça. Fé. Paixão.

Essas são as armas que sabemos usar como ninguém.

E que vão nos levar ao título tão almejado.

VAI, CORINTHIANS!

Comentário por Cláudio

É lógico que nunca é legal perder. Mas essa derrota veio no momento certo e do jeito certo. Afinal, mesmo perdendo o time (sem o Fenômeno em campo) mostrou poder de reação e transformou num placar que não será difícil reverter no Pacaembú. Serviu também para acender o sinal de alerta para o jogo contra o santos, certamente o time vai entrar com outra postura e estrear no Brasileirão sem este peso de invencibilidade.

Comentário por Ivo de Oliveira




Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: