Corinthians: Preto no Branco


Contra a hipocrisia nacional
novembro 30, 2009, 9:34 pm
Filed under: Uncategorized

A Falácia dos Pontos Corridos

Por Paulo Roberto*
.

O ano era 2002, após o término de uma primeira fase de Brasileiro, com apenas um turno e regulamento prévio avisando claramente o que era necessário para se chegar ao título, o São Paulo, 1º colocado com folga da primeira fase, foi despachado pelo Santos, 8º colocado, que venceu as duas partidas do confronto.

A partir daí a mídia não sossegou mais.

De uma hora pra outra, a fórmula que colocava os melhores para decidirem no tete-a-tete não prestava, mesmo com o Brasil sendo o único país Penta Campeão do Mundo, talvez pelo poder de decisão de seus atletas, afinal, desde cedo quem costumava se criar no futebol brasileiro sabia que não bastava ser regular, era necessário um algo mais, se sobressair na hora da “briga de Titãs” que é um confronto mata-mata contra os melhores da competição.

O mais interessante é que chegaram a conclusão de que a fórmula de decidir o Campeonato Brasileiro não servia mais, com um argumento pífio.

E daí que o São Paulo havia aberto muitos pontos a frente?

O campeonato tinha um turno só, o regulamento era claro, não adiantava disparar 200 pontos, era preciso se colocar num grupo de 8 e posteriormente se sobressair contra os melhores.

As vantagens que o primeiro colocado tinha direito, o São Paulo teve, mas não soube fazer valer.

Claro que muitas coisas poderiam ser discutidas, pois existem meios termos.

Poderia ser oferecida uma vantagem maior pra quem chega na frente, como foram os campeonatos com play-offs em melhores de três, onde, além da vantagem dos empates, quem ficava a frente jogava duas das três em casa.

Poderia ser discutida a classificação de 4 times ao invés de 8, assim como poderiam testar a fórmula de pontos corridos uma vez também, por que não?

Mas não foi o que aconteceu, os pontos corridos chegaram e ficaram sob o mantra de “sistema mais justo”.

Com 7 anos de pontos corridos, nunca se falou tanto em arbitragem, mala branca, mala preta, jogo entregue etc.

Quem diz que a fórmula de pontos corridos é justa, certamente deixa de lado uma série de fatores primordiais do futebol, como, por exemplo, a competitividade, a rivalidade, a motivação etc.

Pro campeonato ser de fato justo, time A que joga contra time B na primeira rodada, tinha de ter sempre o mesmo poder, motivação e interesse, de forma a jogar a ultima rodada contra time C, com o mesmo empenho com que enfrentou time B na estréia da competição.

Futebol não é jogado por robôs e campeonatos reais não são como os de vídeo games. Diversas situações podem interferir no comportamento das equipes, uma delas é a rivalidade.

Muita gente fala em honra, dignidade etc, porém pro torcedor o futebol tem um principio básico: o cara torce pro seu time e contra seus rivais. Isso faz parte do jogo, não se pode tirar isso do torcedor senão acaba-se com a essência do futebol brasileiro.

Na Europa, em países do tamanho de estados brasileiros, pode ser raro um time ficar na mão de seu único rival, mas no Brasil as rivalidades estão por toda parte.

Nessa ultima rodada do Brasileirão 2009 vemos o desespero dos colorados apelando por empenho do Grêmio, assim como vemos a situação incomoda do tricolor gaúcho que, não tendo mais nada a buscar na competição, a única coisa que pode fazer é deixar o maior rival com 2 titulos Brasileiros a mais que ele, ou então evitar isso perdendo o jogo.

Nas fórmulas antigas, podíamos ver times dependendo de rivais para buscarem a classificação, ou times dependendo de rivais na luta contra o rebaixamento, mas nada se compara a querer que um rival promova a festa do título de outro.

Um time sem interesse na disputa definir diretamente uma competição de mais de 8 meses é algo muito desanimador. Nesse momento se espera um ápice da competição, era hora de um duelo digno entre duas equipes com o mesmo objetivo, não equipes interessadas de um lado contra desinteressadas do outro. Nas finais de verdade isso não existia.

Seria muito mais interessante em termos esportivos acompanharmos um jogo entre Flamengo X Inter brigando pela taça, do que Flamengo X Grêmio, com o time gaúcho como representante do rival na briga pelo titulo. Essa situação esdrúxula que só os pontos corridos proporcionam. É como se uma empresa trabalhasse a favor da principal concorrente.

Na minha concepção, não cabe o Grêmio dar o titulo ao Inter, não é o que a sua torcida quer e um clube tem de jogar pela sua torcida, não pela do rival. Alguns poderiam perguntar se cabe torcer contra o próprio time, mas quando uma vitória só pode render uma taça ao rival, qual é o sentido?

Fica clara uma falha inadmissível no sistema de disputa.

No mais, pontos corridos premiam a regularidade? Será? Mesmo que fosse, por que ignorar o poder de decisão como critério pra se apontar o melhor de uma competição também?

A mescla das duas fórmulas era ideal, talvez com um número reduzido de classificados, apontava-se os mais regulares e depois os melhores decidiam entre si, cada lado buscando o mesmo objetivo, a vitória, sem mala branca, jogar por rival ou qualquer aberração do gênero.

Nada melhor do que uma decisão onde dois times estão sob a pressão da conquista, ao invés de um lado jogando tudo e o outro não jogando nada.

Mas pra mídia talvez seja mais interessante ficar debatendo polêmicas de supostos jogos entregues, malas brancas ou pretas etc.

Futebol? Rivalidade intacta? Essência da competitividade mantida? Dois times jogando pra vencer? Isso é colocar os melhores pra decidirem frente a frente.

Polemicas e mais polemicas, torcida por rivais, torcidas pro time entregar, malas brancas ou pretas? Isso vende jornal e são os pontos corridos.

Aí alguém vai dizer que os pontos corridos mantém os clubes todos em atividade até o final, mas se for pra retardatário jogar em ritmo de férias e definir a sorte dos que estão na briga, não vale a pena, afinal renda de time que não briga por nada é pífia, melhor era excursionar.

.

*Paulo Roberto é corinthiano, leitor do blog e sabe que aqueles que defendem os pontos corridos não têm moral para questionar o comportamento de time algum. Quem dera tivéssemos, na mídia, alguns Paulos Robertos em vez de incoerentes paladinos da justiça, que não passam de jornalistas pseudo-imparciais desesperados para fazer média. Aprendam!

.


42 Comentários so far
Deixe um comentário

Quem gosta de pontos corridos: inocentes,burros, àqueles que querem ser europeus mas nao entendem nada do futebol brazuca….e os beneficiados pelas malas…

Comentário por Júlio Augusto de Souza

Pois é. Como diz o ótimo artigo da Revista Época: “Os pontos corridos mataram o que há de mais eletrizante no futebol – as finais, que distinguem os homens dos meninos.”

Abraços alvinegros.

Comentário por Larissa Beppler

Rá.
E… lembram daquele papinhho sobre a Segundona forte?
Esses números ninguém coloca para provar o sucesso da fórmula
hahahahaha

Comentário por Victor

Bizarro aquilo. E as pessoas só lembram do que convém.

Abraços alvinegros.

Comentário por Larissa Beppler

Que piada! Só corintianos estão reclamando dos pontos corridos, porque sera ne…

Comentário por Guilherme

Eu acho que só os corinthianos é que estão satisfeitos agora que todo mundo sabe o que é pontos corridos, pois nós já reclamamos há tempos. A gente gosta de ver o melhor mostrar que é melhor, sabe? Tete-a-tete!

Comentário por Larissa Beppler

Só os corintianos gostam de ver o melhor????????????
Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
e mostrar que é melhor???????
vc´s corintianos sao ilarios!!
E eu nao esperava uma atitude diferente do corinthians no domingo. Metade do time se afirmou flamenguista. Que falta de profissionalismo…rsrs Mas pra corinthiano ta de bom tamanho…. cada um tem o time q merece!!!

Comentário por daniela

Pois é.. Avaí, Vitória, Santos, Sport, Barueri, Goias, Corinthians, esses timecos nao veem emoção nos pontos corridos mesmo, nas ultimas rodadas não sentem emoção alguma afinal os times são uma porcaria, desorganizados, etc, lutam pela sul-americana, fazer o que… Engraçado é que ninguem reclamou dos pontos corridos em 2005, voces sao lamentaveis!!!

Comentário por Guilherme

Ninguém reclamou mais do que eu em 2005. Vi meu time ser roubado e corria-se o risco de nada ser feito ainda! Ainda bem que tiveram a hombridade de anular as partidas…

No mais, o Corinthians gritou “é campeão” duas vezes esse ano, ao contrário de todo o resto. Não preciso de mais emoção que isso!😉

Comentário por Larissa Beppler

Mas que emoção hein?!
Não será maior que mais um derrota na libertadores!!É muita emoção mesmo. TIme que comemora a vaga da Libertadores e nao o titulo. Até onibus especial fizeram pela vaga.
Me poupe flor. Voce gosta de mata mata pq neles o juiz resolve tudo em um jogo só…rsrsrs

Larissa: E você gosta de pontos corridos, por quê? Porque fica fácil comprar times pequenos com malas ou pq o árbitro pode roubar pontos aqui e ali, em doses homeopáticas, e ninguém reparar e assim o seu time, mesmo sem apresentar um futebol decente desde 2007, é considerado o justo campeão? Ou é por que na hora do vamos ver o teu time sempre entrega? É, melhor não ter finais mesmo. Já bastaram as de 82, 83, 90, 97, 2002, 2003…

E comemorar vaga na Libertadores, para o Corinthians, é fundamental. Pq para ganhar é preciso apenas tornar a participação um hábito. Não há nada de mais na Libertadores, é uma Copa do Brasil melhoradinha, que o SP e o Palmeiras precisaram disputar 15 vezes para vencer 3 e 1, respectivamente. O Corinthians jogou apenas 7, o que explica não ter ganho ainda… Mas tenha paciência e, principalmente, arrume outro argumento, pois esse terá um fim bem logo.

E não me venha com aquela velha de estádio. Primeiro pq para ter estádio construído com verba pública é melhor não ter e segundo que o Milan, a Inter de Milão, a Lazzio, o Flamengo, etc., também não tem e ninguém ousa chama-los de times pequenos, certo? Essa besteirada toda de Libertadores, estádio, blá blá blá, é coisa de quem não tem muito argumento para discutir, graças a uma freguesia histórica e eterna.

Abraços alvinegros.

Comentário por daniela

“incoerentes paladinos da justiça, que não passam de jornalistas pseudo-imparciais desesperados para fazer média.”

Justo! Cansei de ouvir besteira ontem. Ninguém foi nem minimamente honesto com o Corinthians. Imparcialidade é para os outros.

Comentário por jeff

Ah! Mais do mesmo, né Jeff?

Abraços alvinegros.

Comentário por Larissa Beppler

A Falácia do Mata-Mata
Por Alexandre Baseggio*
.
Mentira (sinônimo de falácia) que só pensaram nos pontos corridos por causa do SPFC em 2002, já se falava e se queria muito isso antes disso, quem fala isso ou é esquecido ou age de má-fé
O Brasil não é penta pela “capacidade de decidir”, mas porque teve muitos grandes jogadores e esquadrões, até porque, em 94 e 2002 nossos jogadores já moravam na Europa, desacostumados com o “Tetê-a-tete”. Aliás, é só o brasileirão q é pontos corridos. Estaduais, Libertadores, sul-americana, Copa do Brasil, são todos no mata-mata. 4 contra 1.
Ninguém discute a legitimidade do campeonato do santos em 2002, aquele era o regulamento e o Santos foi campeão. PONTO.
Arbitragem, mala branca, preta e etc são argumentos falaciosos, pois no sistema antigo sempre tinham os clubes que não podiam mais ficar entre os 8 e boicotavam os jogos, pra prejudicar os rivais. Já teve campeonato decidido por gol irregular (botafogo em 95). Aliás, erro de arbitragem é muito mais prejudicial numa final do que diluído em 38 jogos.
Quem depende do time dos outros não merece ser campeão!! Sou torcedor do SPFC e o Flamengo não vai ganhar por causa do Corinthians ter feito corpo mole ou pelo grêmio entrar com os reservas. Vai perder por que não foi competente. PONTO.
Pra mídia, meu caro Paulo Roberto, seria melhor finais com mata-mata, dá muito mais audiência e pauta, esse aliás é o posicionamento da Globo, que tem todo o direito, porque tem que defender a audiência de um produto que paga caro pra ter.

Aliás, o Grêmio só ganhou do Náutico fora de casa, não ia ser do Flamengo que ia ganhar.

Excursionar é uma balela, se o time é um lixo que não se classifica entre os 8, vai ficar excursionando 2 meses aonde? Quem quer ver um time tão ruim que não fica entre os 8 do Nacional? Além disso na Europa (Ah, sim o Barueri ganharia fortunas excursionando na Europa…) ta rolando campeonato, não dá pra jogar amistosos.
Gente, nacional com pontos corridos é melhor, temos muitos campeonatos de mata-mata. Vamos nos divertir na Libertadores, estaduais, sul-americana e deixar o nacional em paz..

Comentário por Alexandre Baseggio

Outro artigo bastante interessante também. Da Revista Época:

O bocejo venceu a adrenalina

Os pontos corridos mataram o que há de mais eletrizante no futebol – as finais, que distinguem os homens dos meninos

Paulo Nogueira

Foi um retrocesso, em vez de um avanço. O sistema de pontos corridos no Campeonato Brasileiro tirou o que havia de mais eletrizante nele: as finais. A excitação provocada pelos jogos de vida ou morte, e antes disso pelas expectativas de saber até o último momento quem se habilitaria a eles, foi substituída pelos bocejos nascidos de uma série infindável de partidas irrelevantes. Sou corintiano roxo, e não sei quem o Corinthians enfrentará na semana que vem. Meus filhos Emir e Pedro, tão corintianos como eu, também não.

A batalha dos mata-matas foi perdida no terreno da persuasão. A tese simplificadora da “justiça” dos pontos corridos não encontrou concorrência, e foi abraçada com fé cega por muita gente que hoje boceja como eu. Alguém falou aí em unanimidade burra? O melhor dos campeonatos nos Estados Unidos, do basquete ao beisebol, do hóquei ao futebol americano, está nas finais. Ninguém contesta a “justiça” de quem leva o título. O Chicago Bulls, sete vezes campeão de basquete na era Michael Jordan, nem sempre chegou em primeiro na “temporada regular” – a que antecede o mata-mata. Na hora da decisão, o Bulls prevaleceu. Injustiça?

Não. Há um fator que foi ignorado ou amplamente subestimado na discussão sobre o sistema a seguir no campeonato brasileiro: o impacto de jogar sob pressão. Homens distinguem-se de meninos nesse momento. Michael Jordan foi o que foi porque, nas finais, seu desempenho melhorava substancialmente, a começar pela média de pontos por partida. A possibilidade de eliminação num único jogo transformava Jordan num jogador ainda mais soberbo do que ele era rotineiramente. O real teste do grande jogador é a partida que pode ser o adeus.

O Santos de Robinho, em 2002, provou ser forte quando era necessário. Bateu nas quartas-de-final o time que fizera a melhor campanha, o São Paulo. A partida decisiva foi jogada no Morumbi. Na final, o Santos derrotou o Corinthians. Quem há de esquecer as pedaladas de Robinho contra um jogador que não soube o que fazer senão andar pra trás e depois derrubar o então desconhecido atacante do Santos dentro da área. O time do São Paulo, “campeão moral”, foi para o lixo do futebol. Seus jogadores fizeram o oposto de Michael Jordan: diminuíram sob pressão. O do Santos de Robinho entrou pra História. Com justiça.

Os campeonatos europeus também foram invocados na defesa dos pontos corridos. Ora, a Europa foi, nas últimas décadas, vítima do que se chamou de “euroesclerose” – uma dificuldade monumental de mudar e se reinventar. Não fosse a Margaret Tatcher, com sua obstinada cruzada pela modernização na Inglaterra nos anos 80, e a euroesclerose teria transformado a Europa num enferrujado museu. Tatcher inspirou, no continente, líderes que desafiaram a poeira em outros países, como o espanhol Felipe González e, mais recentemente, a alemã Angela Merkel e o francês Nicolas Sarkozy. Imitar os europeus por quê? Mesmo lá, as partidas mais eletrizantes são, hoje, disputadas em torneios mata-mata, como a Copa dos Campeões.

Não foi no terreno da lógica que se perdeu o pedaço melhor do Campeonato Brasileiro: as finais. Foi, repito, no terreno da persuasão. E a única chance de recuperá-lo é ali mesmo: na persuasão.

Comentário por Larissa Beppler

Há de se separar as coisas.

Num “mata-mata” puro não haveria esse tipo de situação, mas como organizar um campeonato brasileiro de 1ª divisão nesse sistema?

Pra se ter uma ideia, a Copa São Paulo será disputada por 92 clubes e terá duração menor que um mês. Quantos clubes seriam necessários para se fazer um campeonato brasileiro em mata-mata puro?

Num campeonato com sistema misto (pontos corridos e play-offs) como era feito até 2002 não elimina o risco dos entregões e das malas.

No fim da disputa da 1ª fase (em pontos corridos) também haviam times que dependiam de outros para se classificarem para a fase seguinte ou para não serem rebaixados. Esses problemas não surgiram a partir de 2003.

Então, se o problema for só esse, ou se faz um campeonato em mata-mata com todos os times da primeira divisão, da segunda, da terceira, da quarta etc. para reunir clubes suficientes para preencher quase um semestre inteiro ou coloca-se algo inibidor no regulamento ou se convive com a situação.

Eu defendo o campeonatos em pontos corridos mesmo reconhecendo as vantagens dos play-offs porque esse tipo de disputa traz maior atratividade aos patrocinadores, que sabem exatamente o quanto sua marca será exposta na mídia. Que clube recebia mais de cinco milhões por ano na época do sistema misto?

O campeonato em pontos corridos também permite um número menor de clubes participantes. Para um país do tamanho do Brasil isso é essencial.

Além disso, gera fonte de receitas durante todo o campeonato, o que favorece os clubes menores.

Enfim, pode-se enumerar várias vantagens e desvantagem do mata-mata e dos pontos corridos.

Mas deve-se colocar todas elas na balança e não só as que se referem a parte esportiva, pois esporte sem dinheiro não existe.

E deve-se evitar julgamentos imediatistas. Não acho que o campeonato assim ou assado favorece algum clube em detrimento de outro. Sempre haverá um campeão. E todos têm as mesmas chances quando do início.

Comentário por Luís Carlos

Um carnaval da mídia!!!
Ninguem reclamou da atitude do goias ano passado naquele jogo que consagrou o spfw campeão, naquele jogo teve gol impedido, visitante se apossando do banco de reservas que era destinado ao mandante do jogo, lance do gol bem naquele setor, ninguem reclamou, nenhum jornalista fez um carnaval em cima daquilo e sem contar é claro com a ”vontade” do Goias em vencer a partida, bilheteria garantida com ingressos inflacionados e bla-bla-bla.
Falar mal do Corinthians é vender notícias e aparecer no belo e ”limpo” meio jornalistico esportivo, dá ibope.
Realmente a formula adotada tem suas falhas, porém premia aquela equipe que se preparou com antecedencia para disputar uma competição da grandeza do Brasileirão.
E quanto aos paladinos da moral e justiça que seus tetos não sejam de vidro pois as pedras uma hora o acertarão e a casa um dia cai.
E um remédio pra choradeira é lenço para enxugar as lágrimas, ou lencinho umidecido para aqueles que tem peles sensíveis, além é claro de ajudar a tirar a maquiagem de campeão usada na penúltima rodada do campeonato.
FUTEBOL É ARTE, RIVALIDADE, ESPETÁCULO E IRONIA (Quem poderia imaginar que clubes que fizeram de tudo para diminuir a representatividade Corinthiana, pudessem um dia depender do alvi-negro para se sagrar campeão)

NADA COMO UM DIA APÓS O OUTRO!!!!

Defitivamente em férias, mas com a alma um pouco mais limpa!! VAI CORINTHIANS 2010.

Comentário por Toel

Acho sim que mesmo com a monotonia dos pontos corridos é a maneira mais justa de disputa de um título, mas isso é claro se não tivessemos estas situações que aconteceram em absolutamente todas as edições dos pontos corridos. Só para lembrar aqui que o santos so foi cmapeão em 2004 pq o Eurico Miranda mandou o Vasco com o terceiro time para jogar a ultima partida contra o timeco da baixada. Não fosse isso o Atletico PR seria mais uma vez campeão Brasileiro.

Uma sujestão seria um campeonato de pontos corridos com apenas 6 meses de duração ao invez dos insuportáveis 8 meses atuais, e 16 times apenas na série A. Desta maneira todos os times teriam que lutar até a ultiuma rodada pois 2 ou 3 tropeços no final do campeonato poderia significar o rebaixamento e sem falar na série B mais forte e da copa do Brasil que tb seria mais disputada.

Alem disso a janela de transferencia no meio do campeonato e a grande exposição dos atletas para disputar 2 competições ao mesmo tempo como os times que jogam a libertadores e a sulameriacana tb teriam seus efeitos amenizados porque o Braileirão poderia começar em fevereiro e acabar em julho e o paulista, e copa do brasil poderiam passar para o segundo semestre e consequentemente seriam mais disputados pelos times que não conquistaram titulos no inicio do ano.

Comentário por Luís Fontes

COISA DE VACILÃO:

http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/Brasileirao/Serie_A/0,,MUL1398133-9827,00-JORNAL+OFICIAL+DO+CORINTHIANS+COMEMORA+TROPECO+PARA+O+FLAMENGO+DOCE+DERROTA.html

O RESPONSÁVEL POR ESSA MANCHETE TINHA QUE SER AFASTADO DO JORNAL.

Comentário por PAULO

Calma, Paulo. Não é assim.

Foi oportunismo da mídia. Eu tenho o jornal e tenho a edição anterior também. Estão utilizando de maneira desonesta um título, que nada mais é do que uma maneira de minimizar uma derrota, coisa que o clube faz há meses, aliás.

A edição anterior deixa bem claro que o Corinthians não entregaria, até printei:

Aos oportunistas:

.

http://www.flickr.com/photos/larissabeppler/4148198359/in/photostream/

.

E esta nova edição não diz nada de mais. É apenas jogo sujo da mídia que não teve a hombridade de postar a matéria na íntegra e aproveitou-se de um título apenas. Mas ao contrário dos oportunistas inconformados, eu postei a matéria do jornal na íntegra. Vale conferir e tirar as próprias conclusões.

Abraços alvinegros.

Comentário por Larissa Beppler

Oi Larissa, só uma perguntinha: quando é que vocês vão nos pagar a “dívida” de 1988, quando vocês foram campeões paulistas em cima do Bugre, porque o PALMEIRAS(já sem chances) abriu-lhes o caminho para vocês irem à final, VENCENDO o outro antipático rival tricolor??? RSRSRSRSRSRSRS

Comentário por Alviverde/SP

Acho que ficamos quites no confronto com o mesmo Bugre, onde a torcida do Palmeiras, ligada no jogo, passou a gritar “Corinthians” … Lembra dessa?

Abraços alvinegros.

Comentário por Larissa Beppler

E você??? Não, você não, porque era apenas uma bebezinha(linda, com certeza)na época, mas eu vi e ouvi GRANDE parte da torcida alvinegra gritando PALMEIRAS a plenos pulmões naquela ocasião(o Globo Esporte passou isso certa vez). rsrsrs
Não tenho memória seletiva, mas pode pelo menos me lembrar qual foi o ano em que fomos obrigados a gritar o nome do arquirrival???

Comentário por Alviverde/SP

Corinthiano nao gosta de pontos corridos porque jamais terá competência de dispútá-lo. Afinal, aquele juiz de 2005 já não apita mais.
Esse texto deve ser pra consolar a mediocridade da campanha corinthiana nesse campeonato.
Abraços!

Comentário por daniela

Em primeiro lugar, “corinthiano não gosta de pontos corridos” já é uma afirmação falsa. Alguns gostam, não sei o motivo, pois não há como negar os argumentos desse post, mas a mídia pinta como justo e muita gente passa a enxergar justiça nisso a partir daí.

Depois, o Corinthians tem tanta capacidade de disputar qualquer competição, que é só o maior dono de títulos nacionais (7) e abriu “só” 11 pontos de vantagem em 2005, tanto que passou a brincar no campeonato, de forma irresponsável, até que um árbitro corrupto e alguns mais resolveram prejudica-lo, beneficiar outros e o time quase viu sua hegemonia no campeonato ir por água abaixo, mas não viu, pq era o melhor de fato.

Sugestão de leitura: https://larissabeppler.wordpress.com/2008/03/29/indiscutivelmente-tetra/

Abraços alvinegros.

Comentário por Larissa Beppler

[…] This post was mentioned on Twitter by Danilo Silva and Larissa Beppler, Larissa Beppler. Larissa Beppler said: A Falácia dos Pontos Corridos » https://larissabeppler.wordpress.com/2009/11/30/a-falacia-dos-pontos-corridos/ […]

Pingback por Tweets that mention Contra a hipocrisia nacional « Corinthians: Preto no Branco -- Topsy.com

A questão não é essa. (em minha humilde opinião).

O Campeonato Brasileiro de 2009 não foi decidido ainda única e exclusivamente por incompetência dos times que estão na liderança, Flamengo, inclusive.

Chance, todos tiveram. E desperdiçaram. Assim o Campeonato é decidido, mas não que ganhe o melhor : quem vai ganhar é o que menos vacilar, o que menos desperdiçar suas oportunidades.

É possível que o Flamengo ganhe. Vacilou mas tem uma certa regularidade, tem jogadores classudos no meio de campo e no ataque. Tem um artilheiro extremamente competente – até gol de mão sabe fazer! O fato do sistema de contagem de pontos ser pontos-corridos ou mata-mata é absolutamente indiferente. Não apaga em nada essa incompetência oscilante desses times “papudos”.

Precisamos sim, de times que joguem direito, e de um STJD que realmente julgue.

Larissa, parabéns pelo blog, pelo altíssimo nível das discussões que aqui se perpetram. Grande abraço. Caio, são-paulino.

Comentário por Caio Bulhões

Muito bom seu texto viu Larissa, concordo com vc!!

Comentário por camilazanluchi

Apagou meus posts so pq eu disse a verdade???
Ela dói neh?!
huahauhauhauhauhauahuahuahuahuahua

Comentário por daniela

Fique tranquila que este é um espaço democrático, acima de tudo. Seus posts não foram apagados, só estão na moderação pq eu até permito comentários mentirosos, mas não os libero até que tenha tempo para responder, senão a mentira fica proclamada no ar, como se fosse verdade. Estou na empresa e sem tempo para responder agora. Aguarde!🙂

Comentário por Larissa Beppler

É verdade…tanto que você publica os meus(embora não os responda, rs)posts com algumas provocaçõezinhas…rsrsrs
Parabéns!!

Comentário por Alviverde/SP

Larissa e corintianos em geral: não tinha pensado nessa coisa de pontos corridos X mata-mata dessa forma… Talvez, depois do campeonato deste ano, desse jeito, a Globo consiga trazer de volta o mata-mata.
Agora, quanto ao comentário do Paulo, das 11h01, a mídia está fazendo todo essa confusão porque é com o Corinthians. Duvido que o mesmo procedimento se repetiria se fosse o time do Jardim Leonor, o Inter ou mesmo algum time do Rio.

Abraços corintianos e “rala que rola na Libertadores”!!!

Comentário por Heloisa

Engraçado, ficar citando artigosd a revista época (leia-se globo) principal interessada nos mata-mata eh até inocente.
Ja temos mata-mata em varios torneios, é simples questão de planejamento se ter (pelo menos) um campeonato em pontos corridos na temporada (é assim no mundo!!)

OBs. Melhor media de publico dos ultimos 22 anos o campeonato de 2009.

Comentário por Emerson Pinheiro

Desculpe se não gostou da minha pergunta…foi só para refrescar a memória e fazer uma provocaçãozinha de rival para rival…RSRSRSRS

Comentário por Alviverde/SP

O campeonato de pontos corridos é a naturalização da lógica do liberalismo econômico no futebol.

Parte-se da premissa de que todos os clubes são equivalentes, como as mercadorias o são em relação ao dinheiro.

O valor de troca elevado à estatura de única medida universal.

O que importa perdermos do Palmeiras e do São Paulo se ganharmos do Barueri e do Santo André nesse sistema? Nada. Pois o que valem, ao final, são os seis pontos conquistados.

As diferentes histórias, grandezas e tradições de cada clube, os embates heróicos forjados em partidas memoráveis e eternas, nada disso tem sentido.

Importam os três pontos. Seja lá da maneira que eles vierem. Que seja em um pênalti roubado contra o Coritiba ou com uma suada vitória contra o Flamengo em um Maracanã lotado: tudo se equivale.

É a mesma lógica do “winner”, do 6-3-3, da fria, racional e calculada ostentação dos números preponderando sobre qualquer outra medida de valor.

Da mediocrização tão cara à nossa época.

Comentário por Dmítri Karamázov

Já li vários textos sobre isso e continuo achando pontos corridos o melhor sistema para o Brasileirão.
Sou corinthiano doente e afirmo pelo que já pude perceber: a maioria das torcidas brasileiras preferem o sistema atual. Se não estamos na briga não podemos culpar a fórmula do campeonato e sim o “planejamento” da nossa diretoria. O ócio desse campeonato só pegou pra valer o Corinthians e mais uns 3 ou 4 clubes. De resto a emoção foi constante. Corinthians a parte, foi um dos melhores campeonatos que já vi. Polêmicas existem no futebol desde sempre e em outras ocasiões e outros sistemas de disputa rivais já dependeram um dos outros.
E mais uma coisa: boa parte da torcida do Timão não gosta desse sistema justamente pelo SPFW ter conquistado 3 e quase ganhar o 4° título nacional seguido.
Essa é minha opinião. Abraços. Blog bem bacana!

Comentário por Carlos Júnior

Pode-se entender da seguinte forma sobre essa questão:
Os MATA-MATAS podem ter JOGOS FINAIS mais BONITOS(embora não NECESSARIAMENTE, pois também podem ser jogos muito TRUNCADOS)e EMOCIONANTES.
PONTOS CORRIDOS revelarão o campeão com mais JUSTIÇA(NÃO HAVENDO MANIPULAÇÃO de resultados, CLARO, mas quem GARANTE que não pode haver manipulações em mata-matas também??).
Ainda sou pelos PONTOS CORRIDOS…

Comentário por Alviverde/SP

O Campeonato de pontos corridos foi por muito tempo apontado como o formato mais justo, pois o time mais regular teoricamente ganharia o título.

Porém,depois de termos visto a disputa nessa forma já a alguns anos há diversas coisas a se considerar, e que mostram que justiça é algo muito difícil de se alcançar numa disputa esportiva.

É justo uma equipe estrear fora de casa , contra um time grande enquanto outras estream em casa, contra times pequenos?

É justo quando lá pela 5ª rodada a imprensa começa a dizer “Se o campeonato acabasse hoje, tal time estaria rebaixado” ?

É justo na última rodada o São Paulo, que luta pelo título jogar contra o Sport, já rebaixado, enquanto o Flamengo que também está na briga jogar contra o Grêmio, que está na área de classificação para a Sulamericana?

Foi justo o Corinthians, em 2007 lutando para não cair jogar em Porto Alegre, contra o Grêmio que ainda tinha chances de ir à Libertadores, enquanto o Goiás , que estava na mesma luta, jogar em casa, contra o Inter que não tinha mais aspirações?

Assim como não foi justo o Corinthians jogar o último jogo da Série B em 2008 com o time reserva, já que já tinha garantido o título, e essa jogo definiu o rebaixamento.

Os campeonatos de 1998 e 1999, vencidos pelo Corinthians, tiveram um formato emocionante, e ao líder ao final da primeira fase, coube a disputa com amplas vantagens, com o primeiro jogo fora de casa e o segundo e terceiro em casa.

O Play Off é um formato muito mais interessante e emocionante e dizer que pontos corridos é um formato justo é pura balela.

Além disso , em 2009 o que vimos foi uma série interminável de vacilos enormes dos postulantes ao título, em vez da tão proclamada regularidade.

Abraços,

Zé Favela.

Comentário por José Freeman Junior **

Larissa: leio sempre seu blog e porisso julgo,smj,
poder fazer-lhe um pedido. Creio que você,com blo-
gueira, tem algum relacionamento quer com o Juca /
Kfouri, quer com o Paulinho MotoBoy. Pois êsses 02
blogueiros, até agora não teceram um mínimo comen-
tário siqur sôbre a tão falada MARMELADA de Goiasx
Inernacional em 2007! Veja, tanto gente do Goias /
como do Inter já deixaram claro que houve “acôrdo”
naquela partida, o que GEROU uma ‘Dívida de Grati-
dão”.E os dois Zé Manés, que se dizem corinthianos
não publicaram nada sôbre êsse jôgo! Más, o tal do
Juquinha, com relação ao jogo contra o Mengo, quer
que o TIMÃO seja punido “Material e Moralmente”. É
possível uma atitude dessas de quem se diz corin-
thiano?! Já imaginou se tudo isso fosse ao contrá-
rio, isto é, se a marmelada fosse no jôgo Grêmio x
Corinthians, com três repetições de cobrança de pê
naltis? O mundo cairía e êsses dois profetas (ou /
patetas)da verdade deitariam e rolariam sôbre êsse
jogo! por favor,eu estou sendo censurado e porisso
não consigo cobrar o Juca e o Paulinho. Por favor,
veja se você consegue algo! Abraços corinthianos.

Comentário por J.C.CAMARGO

Eu não tenho proximidade assim JC, mas fiquei tão revoltada que já escrevi p/ o Juca manifestando meu repúdio. Que ele queira pregar o falso moralismo, vá lá. Não é diferente do que fez em 2005 ou com a MSI.

Mas me irritou especialmente a utilização de dois pesos e duas medidas e foi particularmente isso que critiquei. Vi que ele escreveu: “Depois do que fez o Corinthians ontem, no Brinco de Ouro, contra o Flamengo, que deixou para trás o Palmeiras e o São Paulo, além do Inter, que o alvinegro também tem atravessado na garganta desde que perdeu para o Goiás e acabou ajudando a queda dos paulistas em 2007.”

Ou seja, O Corinthians ele diz que foi uma vergonha, que entregou. O Inter só perdeu p/ o Goiás e, sem querer, acabou ajudando na queda do Corinthians. Ah vá! Quer dizer, no caso do Inter não foi entrega? Note a diferença na utilização das palavras.

Tudo isso sem citar uma linha do grande causador de tudo que ele reclama: os pontos corridos. E ainda teve a capa do jornal distorcida. Postei a íntegra no meu Flickr, que está linkado no blog. Dá uma olhada!

Abraços alvinegros.

Comentário por Larissa Beppler

Esse pulha chamado Juca Kfouri deveria ter sido declarado persona non grata do Corinthians há muito tempo.

Ele se diz corinthiano (ou “corintiano”, sem o H, como ele faz questão), escreve livros sobre o Corinthians, é metido a fazer o prefácio de 9 entre 10 livros sobre o Timão, dá depoimento em documentários sobre o clube… Mas é o maior detrator do Corinthians na imprensa brasileira.

Jornalistas (esportivos ou não) anticorinthianos existem aos montes. Mas nenhum faz declarações tão absurdas como as que Juca Kfouri já fez ou como as que comete agora, após o jogo em que o Flamengo, com a valiosa e descarada ajuda da arbitragem, derrotou o Corinthians.

Derrota corinthiana que (buá…), influiu na provável perda de título do Palmeiras (aquele que recebeu a alcunha de porco após ser o único clube a vetar a inscrição de substitutos corinthianos para os falecidos tragicamente Eduardo e Lidu, nos anos 60), do São Paulo (aquele que quis entregar uma vez, a pedido de sua torcida, um jogo contra o Juventos, e que perseguiu o jogador Grafite pela “traição” cometida) e do Internacional (ele mesmo, o “Entregacional” da Vergonha do Serra Dourada em 2007).

Juca Kfouri posa de porta-voz extra-oficial do corinthianismo, mas, de quando em quando, prega o linchamento do clube. O envio a fogueira. A crucificação de uma agremiação já tão discriminada e perseguida historicamente.

O soberbo jornalista faz pregações carregadas de um moralismo maniqueísta e xiíta. Faz papel análogo ao de um usurpador que, debaixo das vestes papais, escondesse chifres, rabo pontiagudo e pés de bode, e que vociferasse blasfêmias.

Juca Kfouri é, mais do que um mau corinthiano, um mal para o Corinthians. Não vamos nós desejar para ele o que ele deseja contra o Corinthians; ou mover contra ele semelhante cruzada como a que ele move contra o “seu” time. Nós, corinthianos, devemos, sim, repudiar o seu pretenso papel de porta-voz do corinthianismo. Que fale, única e exclusivamente, por si. Como o jornalista xarope que é.

Comentário por Alexandre

Excelente post. No momento o que a gente ve, é a indignaçao dos proprios defensores dessa falacia, acusando o Corinthians, o Gremio, por “desacreditarem??” o sistema de P.Corridos.
Sera que sao tao hipocritas, de nao entenderem que os times todos estao em nivel muito proximo, tecnicamente, adequando-se a esse tipo de disputa?
Quando voce olha uma tabela, onde o decimo (exemplo) esta a poucos pontos do lider, e depois le o que essas mumias do jornalismo dizem, que o “time tal”, nao teve planejamento, nao tem “estrutura” a gente nao se acha trouxa?
Essas bestas quadradas, estao acabando com o futebol, pois para eles o “vice” vira droga no dia seguinte. Se tornam os piores do mundo, enfim tem materia para encher textos com argumentos falsos, e sem qualquer embasamento logico.
A culpa agora (para eles) sao os times que so cumprem tabela.
Vao plantar batatas, se bem que tem as maozinhas finas para isso.

Comentário por Thiago Ferreira

Lamento discordar da blogueira e da maioria dos comentários. Eu prefiro os pontos corridos como fórmula do Campeonato Brasileiro, acho mais justo e também emocionante – as presepadas acontecerão independente da fórmula.

Creio que um calendário onde o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil comecem e terminem nas mesmas datas valorizaria ambos os torneios e nos brindaria duas finais simultâneas nos diferentes modelos, agradando a gregos e troianos – além de permitir ao campeão da Copa do Brasil a defesa do título no ano seguinte, coisa que hoje não é possível por burrice do calendário.

Comentário por Victor Farinelli




Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: