Corinthians: Preto no Branco


O tabu caiu, a freguesia persiste
março 29, 2011, 3:15 pm
Filed under: Uncategorized

.

No último domingo (27), após 4 longos invernos, o São Paulo finalmente derrubou o tabu e venceu o Corinthians por 2 x 1, na Arena Barueri. Dagoberto abriu o placar para os tricolores e Rogerio Ceni, de falta, fez o seu gol de número 98 (no blog, vale o que reza a FIFA – entidade máxima do futebol) e o segundo do São Paulo.

.

Dentinho diminuiu para o Timão, mas não foi suficiente para manter o tabu de 11 jogos sem perder para o ainda freguês. No retrospecto geral: 291 jogos, 111 vitórias, 92 empates e 88 derrotas; 425 gols pró, 392 gols contra. Em campeonatos Paulistas: 157 jogos, 55 vitórias, 50 empates, 52 derrotas, 203 gols pró, 209 gols contra. A prova irrefutável da soberania corinthiana em majestosos. Uma ode à freguesia, aqui » https://larissabeppler.wordpress.com/2010/08/21/ode-a-freguesia/.

.

Ademais, apenas o irrepreensível texto de um autor desconhecido acerca da farsa do último domingo:

.

A mídia, compreensivelmente, fez seu carnaval. Numa TV movida a audiência fácil, um fato como esse, sem maiores referências, de fato merece ser destacado. Mas como tudo que envolve o tal clube, e principalmente o tal atleta, trata-se de mais uma falácia. Jornalistas sérios não podem se render a esse engodo.

Um sujeito que faz 100 gols, sendo que é batedor oficial de faltas e pênaltis há 14 anos, é pouco eficiente. Alguém nessa condição não pode ter média de pouco mais de 7 gols por ano. Já devia estar na casa dos 250, pelo menos. O fato estatístico comemorado este final de semana, na verdade, é banal.

Podem dizer que manter-se nessa condição por 14 anos é que é o feito. Nada disso. Todos sabem que a carreira desse sujeito é permeada por histórias vergonhosas, desde falsificações de propostas, passando por arremessos de medalhas e sendo marcada por incontáveis puxadas de tapete em técnicos e até companheiros, a cada vez que seu reinado como atleta mais importante do elenco foi ameaçado.

Como representante de seu time na Seleção, até Valdir Peres fez mais: pelo menos foi titular de uma Copa. Como cobrador de faltas, seguramente está abaixo de Marcos Assunção. Deve estar no mesmo patamar do Tcheco, e olha lá.

O fato é que o sujeito foi mais uma vez elevado ao patamar de herói nacional por nada. Mais um mito fabricado. Goleiro medíocre, com erros básicos na formação técnica, como a patética mania de se ajoelhar – semana passada, engoliu três frangos, sendo que o terceiro foi realmente uma façanha: um gol por baixo das pernas estando ajoelhado. Caráter duvidoso, não só fora de campo, mas também dentro. Péssimo perdedor, levanta os braços histericamente e exige marcações esdrúxulas dos juízes a cada gol que leva. De ídolo, não tem nada.Reserva do Marcão, eternizou a camisa 22 da seleção. Nunca ninguém carregou os cones e recolheu os coletes do campo nos treinos da Seleção com tanta precisão quanto ele. Se for por isso, aí sim, merece os nossos parabéns.”


9 Comentários so far
Deixe um comentário

Ótimo texto!
E ele pode até ficar com os 100 gols, eu não ligo. O que fica é aquela gravação do Milton Leite, que roda pelo YouTube e que diz que o goleiro é chato pra c#@$lho…
Sempre achei que se baba ovo demais pra esse fulano, que é um p… de um arrogante. Apesar de tudo, se tem alguém rival para se admirar, esse alguém é o Marcos. Esse FDP é um chato, assim como todos que torcem pro timinho do Jardim Leonor. O que seria deles se não fosse o Timão?!

Comentário por Heloisa

Para nós corintianos apenas uma derrota, para os são-paulinos um jogo que valeu por longos 4 anos.

Comentário por Alex Miranda

Cartão fidelidade Corinthians: vire freguês e ganhe um brinde a cada 4 anos, hehe.

Abraços alvinegros.

Comentário por Larissa Beppler

1000 > 100

O milésimo gol sofrido pelo maior ídolo da história do SPFC foi marcado pelo Corinthians, na sensacional virada corinthiana no Majestoso do dia 12/04/09, naquele que ficou conhecido como “o jogo da dedada do Cristian”:

http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/Campeonato_Paulista/0,,MUL1082432-9839,00.html

“Rogério Ceni leva o gol 1000. E o 1001

O Corinthians era melhor no início da partida, principalmente explorando o seu lado esquerdo, com Douglas, André Santos e até Ronaldo caindo por ali. Para equilibrar o jogo, o São Paulo apostou na sua principal jogada: a bola levantada na área. Aos 18 minutos, Jorge Wagner cruzou da esquerda e quase pegou Felipe desprevenido. No reflexo, o goleiro do Timão salvou. Aos 24, ele não conseguiu segurar. Novamente Jorge Wagner levantou a bola, e Miranda desviou para o gol. O zagueiro saiu para comemorar, mas o lance teve duas irregularidades não assinaladas pelo trio de arbitragem: 1) no momento do lançamento, Miranda empurrou Chicão, tirando o corintiano de ação; 2) e Miranda estava 30 centímetros impedido. Vale destacar que William também derrubou Washington, o que poderia ter acarretado em pênalti.

Em maioria no Pacaembu, a Fiel não desanimou e passou a incentivar ainda mais. A resposta veio aos 28 minutos. Em linda jogada, Elias invadiu a área e tocou com o bico esquerdo no canto de Rogério Ceni. O goleiro tricolor, que acabava de sofrer o seu milésimo gol, nem se mexeu.

(…)
Quando ninguém esperava por mais nada e o empate já parecia agradar aos dois lados, surgiu o pé direito de Cristian, que tinha roubado o lance de Jorge Wagner. A 22 segundos de acabar o acréscimo dado pelo árbitro, exatamente a 47 minutos e 38 segundos, o volante acertou uma bomba no canto esquerdo de Rogério Ceni. E correu como um louco para a torcida adversária para provocar, fazendo gestos obscenos. Se muitos já tinham desistido, a Fiel sabia que até a última hora tudo pode acontecer no Corinthians. E aconteceu: 2 a 1.”

###

ps:
Rogério Ceni enfrentou o Corinthians em 52 partidas: saiu vencedor em 17 delas, com o empate em 16 e foi derrotado 19 vezes.

pps:
De todos os times que enfrentou defendendo a camisa do SPFC, aquele do qual Rogério Ceni sofreu mais gols em toda a sua carreira foi o Corinthians: 84 gols (média de 1,61 por partida;
ou seja: na média, com Rogério Ceni na meta, o SPFC tem que fazer no mínimo 2 gols por partida, se não quiser ser – como tradicionalmente é – derrotado pelo Timão).

Comentário por Thiago

Bem lembrado. Abraços alvinegros.

Comentário por Larissa Beppler

Larissa!!
Muito, mas, muito obrigado mesmo, e também um muito obrigrado ao Milton Leite.

Comentário por Luiz Carlos

Vendo esses comentários chego a uma conclusão estamos dando muita importância a quem não se deve, se olharmos toda a trajetória vamos ver um time sempre privilegiado em detrimento a todos, vivem na calada da noite tirando jogador de um time ou outro, pessoa sem noção, vivem passando por baixo das catracas de ônibus se achando milionários, “uns verdadeiros Lords Ingleses, sem grana vivendo no Brasil”… Falando mal do SCCP pra ter alguma notoriedade na Mídia, se fossem tão polidos teriam outra postura, somo nós os invejosos!!!

Comentário por JOSÉ ROBERTO

Olha só que interessante hein, muito bom esse ponto de vista!

Penas que nossos dignissimos jornalistas não entendam o fato desta maneira, fazer o que né!

Comentário por Luís Fontes

O que a imprensa rosa esquece de falar, é que o farsante tomou seu milésimo gol na primeira partida das semifinais de 2009, o gol do Elias. O segundo gol, do Cristian que mostrou os dedos médios para elas foi o gol 1001. Outro fato histórico é que já levou 84 gols do timão, o goleiro mais vasado, nem Geninho que era goleiro do São Bento de Sorocaba levou tantos.

Comentário por Domingos Patricio




Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: