Corinthians: Preto no Branco


De virada, Corinthians supera Vasco e mantém liderança
julho 8, 2011, 1:05 am
Filed under: Uncategorized

.

O frio da noite de quarta-feira e o gol do adversário nos primeiros minutos não foram suficientes para desanimar os 30 mil corinthianos presentes no Pacaembu para o jogo Corinthians x Vasco, válido pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro. Diante da sua Fiel torcida, o Timão venceu a equipe cruzmaltina, de virada, por 2 a 1. Ralf e Paulinho anotaram os gols da vitória.

.

Líder isolado e um dos últimos invictos da competição, o Alvinegro alcançou um novo recorde: 19 pontos conquistados de 21 possíveis. Desde que o Brasileirão passou a ser disputado na forma de pontos corridos, há oito anos, nunca uma equipe havia superado a marca dos 17 pontos após 7 rodadas.

.

O Vasco saiu na frente logo aos 2 minutos de jogo com Juninho Pernambucano, que cobrou uma falta da intermediária, mas  Júlio César errou o cálculo do quique da bola e facilitou para os vascaínos. Apesar do susto inicial, o Corinthians não se abateu. Empurrado pela torcida, o Timão logo retomou o domínio do jogo e passou a exercer forte pressão no adversário. Ralf, aos 22, marcou o gol de empate que fez jus ao futebol apresentado até então.

.

O Corinthians ainda perdeu boa oportunidade de ampliar, aos 36 da primeira etapa, com chute de Liédson, mas Fernando Prass fez grande defesa. O gol da virada corinthiana veio aos 42, quando Paulinho tabelou com Danilo e chutou de bico para fazer 2 a 1.

.

O Vasco voltou mais ofensivo para a segunda etapa, mas só conseguia chegar à meta de Júlio César por intermédio das bolas paradas. E o árbitro, à propósito, insistia em marcar falta para qualquer lance de contato. Só uma penalidade pró-Corinthians não passou pelo crivo do gaúcho Leandro Vuaden (RS). Diante da ofensividade adversária, o técnico Tite se viu obrigado a modificar sua equipe e trocou Danilo e Willian por Alex e Emerson. O Corinthians, então, passou a controlar o ritmo do jogo, mas o goleiro Júlio César quase entregou o ouro em outras duas oportunidades.

.

Por sorte, o Timão conseguiu assegurar a vitória, mas a torcida no Pacaembu se irritou com o camisa 1 e pediu a entrada de Renan. Pode ser o momento oportuno para a estreia do novo goleiro do Corinthians, só depende do técnico Tite, que também precisa repensar a utilização de Emerson e rever a sua lateral-esquerda, que já pode mudar de nome para Avenida Fábio Santos. É fato que a campanha corinthiana nesse início de Brasileirão é fantástica em termos de resultado, mas alguns ajustes são obviamente necessários.

.

O Alvinegro tem feito o dever de casa e somado importantes pontos no Pacaembu, mas o treinador precisa trabalhar o time para não recuar tanto após conquistar uma pequena vantagem, pois diante de uma equipe mais bem estruturada essa postura, que já leva o Corinthians a sofrer fortes pressões adversárias na segunda etapa, ainda pode custar os 3 pontos, posto que o time não é talhado para jogar no contra-ataque. Mãos à obra, Tite. E vai Corinthians!


7 Comentários so far
Deixe um comentário

Além do resultado, o time me provou que eu estava enganado quanto a desconfiança de que sucumbiriam quando o placar estivesse adverso. Não, estiveram melhor o primeiro tempo todo e reagiram. O problema é esse no fim mesmo, mas aí, não me lembro de um time do Tite que não tenha sido assim em 99% dos jogos…

Comentário por Ândi

A pergunta não quer calar: Tite finalmente teve a deixa para escalar o Renan. Ele vai jogar fora? Vai deixar escapar? Prefere fazer média, e pagar de bonzinho, a ganhar títulos?
Ao que tudo indica, tudo continuará como dantes…

Comentário por jeffdamn

Eu acho que o Júlio César falhou. Mas nossa sorte foi que o goleiro do Vasco falhou mais feio…
Abraço alvinegro!

Comentário por Heloisa

Espero que possamos continuar nessa pegada. Próximo adversário não é dos mais fortes, se conquistarmos mais três pontos seria ótimo. Toda atenção é válida contra o Atletico GO, ano passado perdemos os dois jogos contra o Dragão.
Vai Corinthians!!!

Comentário por Will

Quarta feira o Julio Cesar estava visivelmente nervoso, inseguro e isso foi provado no primeiro chute a gol que o vasco deu. Tenho a sensação de que ele fica nervoso nos jogos em casa. Se você pegar o retrospecto de falhas, vai perceber que após a falha na final do Paulista, ele tem falhado bolas faceis e sempre em jogos em casa, exceto o jogo contra os bambis pois os caras nem chutaram a gol, logo não tinha nem como falha.

Comentário por Rafael Nascimento

Do amor tu não dirás: provo, mas não me embriago,
que não basta provar para sentir o amor.
É preciso sorvê-lo até o último trago
se a embriaguez é que dá seu profundo sabor.
Sou louco por ti Larissa.

Comentário por São Jorge.

http://espn.estadao.com.br/marcoscaetano/noticia/201603_BANDO+DE+LOUCOS

Por conta de tanto capitalismo futebolístico, fico aliviado ao ver o modo como se comporta a torcida do Corinthians nos estádios. Através de um longo processo que começou a ser forjado no longo período em que o Timão passou sem títulos e tornou-se apaixonante no ano em que o clube disputou a segunda divisão, a torcida corintiana tem, hoje, um algo mais. Parece mais autêntica, canta o jogo todo, celebra mais nas boas fases e reclama menos nas marés baixas. Isso faz diferença. Acompanhei o jogo Corinthians x Vasco na última quarta-feira e posso dizer que me senti testemunha de uma equipe capaz de fazer história. Mesmo com o gol do adversário bem no início, a fiel torcida não se abalou. Entoou coros a plenos pulmões e literalmente empurrou o time, que demonstrou enorme espírito de luta dentro de campo. A partida foi disputada em velocidade frenética, com o Vasco lutando com igual desespero por cada posse de bola, o que valorizou ainda mais a virada alvinegra. No final, vitória e liderança folgada.

Com um time organizado e brigador, apoiado pelo já célebre bando de loucos, que me parece muito mais próximo da antiga autenticidade do futebol do que de coreografias ensaiadinhas, o Corinthians desponta como grande favorito ao título brasileiro. É muito cedo para cravar uma aposta dessas, mas insisto: poucas coisas no futebol são mais poderosas do que uma autêntica conexão entre time e torcida. Autenticidade é a palavra. Uma palavra que, sem saudosismo, anda nos fazendo falta.

Comentário por O Time do Povo




Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: